Muito amor por livros! – Leitura desde a barriga da mamãe

Eu sempre gostei de presentear os filhos das amigas com livros. Existem tantas possibilidades, é um presente legal até para quando não se sabe o sexo, não tem erro, todo mundo gosta e é realmente útil. Difícil conhecer uma criança que não gosta de livros, não é mesmo?

Introduzimos os livros e a leitura desde cedo por aqui. Livrinhos de plástico para a hora do banho, livrinhos de pano para os primeiros meses, figuras enormes e coloridas, kit de mini livros, e por aí vai… Mas antes da Bela ter contato direto com eles, eu já gostava de ler para ela. Morávamos na praia e durante os passeios matutinos sempre tinha leitura da mamãe. Aproveitava para ler os meus favoritos, já que hoje, leio mesmo as histórias que a Bela gosta. Ah! E durante a gravidez também lia em voz alta. Lembro que adorava fazer uma pausa na leitura para colocar algum livro em cima da barriga e vê-lo mexer, tremer ou pular! Que saudade! (tenho vídeos disso para nunca esquecer).

Quando o bebê nasce, o seu cérebro pode fazer muita coisa, mas ainda não está totalmente desenvolvido. Quanto mais os sentidos são estimulados, mais rápido será o desenvolvimento do cérebro. Portanto, ler em voz alta para o seu bebê é uma atividade maravilhosa que você pode compartilhar com ele desde já e por mais muito tempo. Quanto mais histórias você ler pra ele, quanto mais palavras ele ouvir, melhor vai ser o seu vocabulário e fala. (Guia Infantil)

Diversas vezes a Bela não dava muita bola, outras vezes ficava me olhando… Não importa! Estava fazendo minha parte. Passamos pela fase da Bela querer pegar todo e qualquer livro que eu estava lendo, depois a fase de folhear rapidamente o livro por completo (e sem paciência para esperar acabar a leitura daquela página) e agora estamos entrando na fase “quero ouvir historinhas”.

Cada fase uma delícia, cada momento precioso. Até nos momentos que eu não leio algo para ela, não dou muita atenção, os livros preenchem o tempo por aqui. A Bela já ficou mais de 30 minutos mexendo nos livrinhos, impressionada com as figuras e cores. E nessa hora eu consegui fazer muita coisa, inclusive escrever posts pro blog, rs!

 

Alguns benefícios:

–> A leitura frequente ajuda a criar familiaridade com o mundo da escrita. A proximidade com o mundo da escrita, por sua vez, facilita a alfabetização e ajuda em todas as disciplinas, já que o principal suporte para o aprendizado na escola é o livro didático. Ler também é importante porque ajuda a fixar a grafia correta das palavras. 

–> Quem é acostumado à leitura desde bebezinho se torna muito mais preparado para os estudos, para o trabalho e para a vida. Isso quer dizer que o contato com os livros pode mudar o futuro dos seus filhos. Parece exagero? Nos Estados Unidos, por exemplo, a Fundação Nacional de Leitura Infantil (National Children’s Reading Foundation) garante que, para a criança de 0 a 5 anos, cada ano ouvindo historinhas e folheando livros equivale a 50 mil dólares a mais na sua futura renda.

–> Além de divertir e ampliar horizontes, a leitura estimula o desenvolvimento e o raciocínio. Se você quer incentivar seu filho a ter esse hábito, a dica é começar o mais cedo possível, quando ele ainda estiver  na barriga. Já nesse momento, ele é capaz de captar as vibrações emitidas. “Estudos mostram que, mesmo antes de o feto nascer, ele já consegue identificar a emoção das palavras”. Além disso, contatos sonoros dos pais com a criança, em tom harmonioso, como conversar, cantar e ler historinhas, ajudam a estabelecer um laço entre o bebê, a família e o ambiente externo.

–> Depois do nascimento, é importante dar prosseguimento à atividade, pois apesar de a criança ainda não compreender o significado das palavras, elas servem como estímulo para o desenvolvimento. Na fase inicial, pode-se recorrer à própria leitura do cotidiano, como  jornais e revistas, desde que seja empregado um tom de voz cadenciado e melodioso.

–> Após o quarto mês de vida, a leitura pode ser associada a estímulos visuais, como figuras coloridas. Nessa fase, que dura até cerca de 2 anos de idade, quando a criança começa a falar, é recomendado dar aos pequenos livros de pano ou de plástico, que podem ir à boca sem problema. O ideal é que eles tenham diferentes texturas, cores e até cheiros, que são um ótimo estímulo às funções sensoriais.

–> Quando realizada em um ambiente tranquilo, a leitura induz o desenvolvimento de partes importante do cérebro do bebê e o acalma ao reconhecer o timbre e a cadência da voz.

 

Os livros da Bela ficam no escritório, ao lado dos nossos livros. Ela tem uma prateleira só para ela. Sabe que não pode mexer nos livros do papai e da mamãe (mas as vezes desobedece, é claro).

Quando ela rasga alguma página eu a repreendo e mostro que estragou. Tem dado certo e os livros serão doados em breve para a priminha Chloe em ótimo estado! 🙂

Também deixo alguns livros no quartinho dela e um específico, que é a lição da igrejinha, deixo junto com os meus devocionais (Bíblia, meditação, etc). Ela já identifica qual é o dela, qual é o meu. Muito fofa!

Um agradecimento especial a todos os amigos que já presentearam a Bela com livrinhos. Foram e são muito bem-vindos por aqui!

quem faz parte desse post

Fonte: Revista Crescer e Editora Abril
Fotos: Junia Lane (Bela linda de faixinha Miminho Mimo de Criança)

Deixe seu comentário

1comentários

  1. Rosi - 30 de agosto de 2017 às 19:01

    Por favor me diga quais os livros que a Bela tem e onde posso comprar. Tenho uma bebê de 3 meses, leio pra ela, mas quero outros livros.