Categorias

{Relato de Parto} Nascimento da Mila – O Maior Milagre

Amamos compartilhar com vocês Relatos de Parto! Que emoção reviver esses momentos e relembrar o nosso próprio parto. É uma das maiores surpresas de mãe, afinal, um dos momentos mais esperados e desejados durante a gestação.

Quem está grávida deveria ler muitos relatos de parto, se preparar através de outras experiências e saber o que esperar para não criar muitas expectativas. Na realidade, nunca estaremos totalmente prontas e as coisas nunca sairão do jeitinho que planejávamos, não é mesmo? Dar a luz faz com que nos tornemos outras pessoas, nasce um novo ser mas uma mãe e pai também.

Aqui no blog já compartilhamos histórias emocionantes, como o parto domiciliar planejado da Drika; Relato da Rebbeca, que também foi mãe de UTI; a história do parto em forma de carta para a Clara; além do nascimento da Chloe, da Isabela e do Pedrinho. Quantas lembranças!

Hoje vamos contar a história do nascimento da Mila, que chegou para mostrar que na gravidez não temos o controle de nada! A mamãe Naiá conta com detalhes todo o processo de passar 35 dias com seu pequeno milagre na UTI.

“Nunca foi meu sonho ser mãe mas sabia que quando acontecesse seria lindo; com exercícios pra ajudar no parto, drenagem pra cuidar do corpo, ensaio fotográfico, chá de bebê e tudo mais que eu tivesse direito.
Mas, foi logo no começo da gravidez que aprendi a lição mais importante da maternidade: não temos o controle de NADA.”

O milagre

“Estava com 9 semanas de gestação quando tive um sangramento intenso. Fui para o hospital apreensiva e me preparando para o pior, como se eu pudesse me preparar para isso. Quando o médico fez o toque disse que eu tinha perdido o bebê. Meu mundo desabou, eu não sabia que já amava um ser que não tinha nome, sexo, nem rosto.

Fui fazer a ultrassom pra confirmar e decidir qual procedimento seguiríamos. Para nossa surpresa, tinha um coração batendo, e batendo bem forte. O médico tinha se enganado e nossa pequena já se mostrava um pequeno milagre.

A partir daí tudo foi difícil. Fiquei de repouso a gravidez inteira, sangrei a gravidez inteira, fiz diversos exames, era pelo menos 1 ultrassom por semana. E o medo de perder minha menina a qualquer momento me atormentou até o dia dela vir pra casa.”

Nascimento Prematuro

“Tudo indicava que seria um parto prematuro, mas estava confiante que seria pelo menos 35 semanas. Com 31 semanas exatas, minha bolsa rompeu! Com muita tranquilidade fomos ao hospital, fiz mais exames e fui mandada de volta pra casa porque aparentemente não tinha rompido nada, era só um engano.

Minha médica ficou em contato comigo e durante aquele dia continuei sangrando e “vazando”. Na madrugada do dia seguinte começaram as contrações, voltei ao hospital e estava em trabalho de parto. Finalmente internei.

Não tive dilatação suficiente e no fim do dia fui pra cesária. Minha filha já estava em sofrimento! Brinco que tive o parto cesária mais humanizado de todos. Que equipe maravilhosa.”

Segundo Milagre

“Quando a Mila nasceu, eu só consegui vê-la pelo reflexo da luminária da sala de parto. Meu marido acompanhou a pediatra e todos os procedimentos para ensina-la a respirar. Quando voltou, me disse que ela tinha 1.160kg. Era muito pequena, não ganhava peso há algumas semanas. Fora isso, eu tinha uma infecção muito séria, que estava escondida na placenta e não deu para ver em nenhum exame. Demoraram muito para me fechar e até cogitaram me levar pra UTI.

Eu tive uma braquicardia que por pouco não virou uma parada cardíaca. No fim, tudo deu certo e conseguiram resolver. Eu vi rapidamente minha menina, só pude tocar na sua mão por poucos segundos.

Eu não tinha ideia do que estava por vir. Foram longos 35 dias de UTI Neonatal. Leite que secou por causa de muito choro, sorrisos em cada notícia boa, cochilos rápidos na poltrona desconfortável ao lado da incubadora, choro em cada procedimento que envolvia picadas, uma conexão surreal entre mãe e bebê, medo a cada entrada e saída do hospital e, no meio disso tudo, uma fé inabalável de que o dia da alta ia chegar.

Finalmente chegou o dia de ir pra casa! Lá estava eu, uma mãe de primeira viagem cheia de inseguranças saindo do hospital com uma menina linda de 1.850kg.

Sabe o que eu aprendi durante esse processo todo? Que eu tenho um Deus que cuida de mim. Ele cronometrou cada acontecimento do parto, nada poderia ter acontecido 1 dia a mais ou a menos (ela nasceu exatamente 72h depois de eu tomar o remédio pra acelerar o desenvolvimento do pulmão, e isso poupou a intubação). Ele cuidou de mim na UTI, me colocando em uma sala com técnicas e enfermeiras maravilhosas que me proporcionaram sorrisos e me trouxeram paz. Ele cuidou e eu senti o cuidado dEle. Meu pequeno milagre é a minha maior alegria.

Descobri que sou muito mais forte do que achei que era, descobri que eu posso confiar completamente no meu Deus, porque os planos dele são maiores.”

Deixe seu comentário

4 comentários

  1. Lendo esse relato passou um filme na minha cabeça. Minha bebê nasceu de 33 semanas, fiquei 10 dias internada, sendo 3 desses em coma induzido, só conheci minha pequena qnd ela tinha 8 dias. Nessas horas sentimos o amor de Deus por nós, e percebemos que os planos dele são perfeitos. Semana que vem minha filhota fará 1 aninho 🙂 Não tive o parto que sonhei mas sim o que Ele preparou pra mim.
    Muito lindo esse relato de parto 😘

Publicidade

Junia Lane