Categorias , Saúde do bebê

Medicamentos, Produtos de Beleza, Alimentação e Bebida alcoólica na Amamentação

O aleitamento materno é tão importante para o bebê quanto para a mamãe. São inúmeros os benefícios para ambos! E, como todo mundo já sabe, o leite da mamãe é o melhor alimento para o bebê! No primeiro ano de vida, esse será um dos maiores desafios de toda mãe e com certeza um assunto bastante abordado.

Nós já falamos sobre a amamentação exclusiva da Bela até os 6 meses, sobre leite que secou e todas as dicas para fazer o leite voltar, as mamadas da madrugada, o desafio dos primeiros dias de amamentação, mamadas completas e o que seria isso, dificuldades com amamentação e desmame. Deu para perceber que é um assunto bem falado por aqui, não é mesmo? Hoje a pediatra Dra. Márcia fala um pouquinho para a gente sobre TUDO O QUE PODE e O QUE NÃO PODE NA AMAMENTAÇÃO.

Existe uma dúvida sobre o que pode ser consumido, utilizado ou não, durante a amamentação; o que interfere na composição do leite materno, e etc. A alimentação da nutriz, influencia bastante a composição do leite. E esta é uma preocupação frequente para a maioria das mamães, principalmente em relação aos alimentos que podem aumentar gases e cólicas nos bebês. O uso de medicamentos e até mesmo o uso de produtos cosméticos. Afinal de contas, quem não quer ficar mais bonita, não é verdade? Esses também são motivos de preocupação e dúvidas.

Então, vamos dar algumas dicas para ajudar as mamães com estas questões!:)

Produtos de Beleza

A primeira da lista é a escova progressiva. Nesse caso, a preocupação é com o formol. Os produtos para alisamento que são à base de formol não são liberados para uso durante a lactação. Geralmente nestes produtos a concentração de formol é maior que a concentração máxima permita pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária – responsável pela fiscalização de medicamentos, alimentos e outros produtos). De acordo com este órgão, a concentração máxima de formal permitida é de 0,2% pelo risco de intoxicação e a concentração nos produtos habitualmente utilizados para alisamento é em torno de 3,5%. Os produtos sem formol são liberados.

Já no caso das tinturas para cabelo, o problema é a presença do metal chumbo na tinta. Apesar de a concentração ser baixa, em torno de 0,6%, não existem estudos demonstrando segurança na lactação. Já os produtos a base de amônia não são contraindicados, mas o uso deve ser criterioso porque também não existem estudos sobre a segurança durante a amamentação.

E o botox?!  A toxina botulínica pode ser utilizada pela mãe que amamenta. A via de administração é intramuscular e a ação desta substância também é intramuscular. Ela não é absorvida pelo organismo e não atinge a circulação sanguínea. E assim não chega à glândula mamária e não é eliminada no leite materno, não oferecendo risco para o bebê.

Tatuagem, cigarro e bebida alcóolica

Tatuagens: Devem ser evitadas pelo risco de transmissão de algumas doenças infecciosas como HIV e HTLV.

*O tabagismo não é contraindicação, mas com certeza deve ser evitado. A nicotina pode prejudicar o desenvolvimento da criança e pode diminuir a produção e ejeção do leite. Assim para as mamães que fumam, a dica é tentar diminuir o máximo possível o número de cigarros e evitar fumar próximo ao seu filho, inclusive evitando o mesmo ambiente.

Em relação às bebidas alcoólicas, uma taça de vinho, pode? A resposta é sim! Mas com moderação!  A recomendação universal é que o consumo de bebidas alcoólicas deve ser evitado durante a amamentação. Mas, segundo o ministério da saúde, o consumo de pequena quantidade álcool, por exemplo, duas latas de cerveja ou uma taça de vinho por dia (mas é UMA SÓ!) é seguro. Quantidades superiores podem alterar a produção de leite além de alterar o odor e o sabor do seu leite. Assim, guarde esta possibilidade apenas para ocasiões muitooooo especiais!!!

Alimentação

Existem muitas controvérsias sobre o consumo de determinados alimentos e repercussões no bebê. Para alguns especialistas, o consumo em excesso de alguns alimentos como alho e cebola, couve e brócolis na alimentação de uma nutriz que não tem o hábito de ingerir estes alimentos, pode alterar o sabor e odor do leite e influenciar a aceitação do bebê.

Certos alimentos são considerados como formadores de gases, como feijão (geralmente quando não é colocado “de molho” antes de cozinhar), mas não existe uma regra. Cada organismo reage de uma maneira. A dica é prestar atenção nos componentes da sua alimentação e as reações no seu bebê. Em caso de dúvida em relação a algum alimento, você deve retirá-lo da alimentação e reintroduzi-lo depois de um período. Observando sempre as reações.

Em relação à comida japonesa, não existe restrição durante a lactação. Você deve tomar cuidado com a higiene no preparo pelo risco de contaminação por bactérias que podem causar infecção e/ou intoxicação alimentar. Isso é válido para todas as pessoas!

É bom lembrar que durante a gestação não é recomendado o consumo de alimentos crus pelo risco de infecção pelo toxoplasma gondii, e transmissão através da placenta para o feto. O ser humano pode ser infectado por esse parasita por meio da ingestão de cistos teciduais, presentes em carne animal crua ou malpassada, ou de cistos presentes em mãos, alimentos e água contaminados por fezes de animais infectados. E é este o risco da comida japonesa: contaminação pelo toxoplasma relacionada à agua e/ou mãos contaminados.

Medicamentos

O uso de medicação pela nutriz durante a amamentação é uma situação muito frequente, e é também motivo de grande preocupação para as mamães. Algumas preferem não usar medicamentos com receio de prejudicar o neném, mas, mamães, vocês podem ficar tranquilas! A maioria das medicações é compatível com a amamentação. Apesar de serem excretadas pela glândula mamária e estarem presentes no leite materno, elas não vão causar problemas porque a quantidade que chega pelo leite materno ao bebê é pequena.

Além disso, para serem absorvidas e alcançarem a circulação sanguínea do bebê, elas precisam passar antes pela “barreira” do trato gastrointestinalelas, podem ser absorvidas ou não pelo tubo digestivo do bebê.

Poucos são os fármacos formalmente contraindicados e incompatíveis com a amamentação. Consulte sempre um profissional de saúde antes de usar medicamentos.


Fonte:

Atenção à saúde do recém-nascido – volume 1- 2014
Amamentação e uso de medicamentos e outras substancias Ministério da Saúde – 2000

 

Veja  mais:

Amamentação Prolongada – Eu tenho superpoderes!
Amamentação – Bênçãos x Dificuldades
22 Meses de Amor Líquido – Relato de um Desmame Tranquilo e Cheio de Amor

quem faz parte desse post

Fotos via: Super healthy kids | Mom Junction | Matrix diagnostics | Healthy eating for a healthier life

Deixe seu comentário

Publicidade

Junia Lane