Feliz Dia dos Pais, Mãe! – {Desabafo de uma filha sem pai}

Alou, paiê,  Feliz dia dos pais.

Rádio lápis de mãe chegando em seu lar comemorando o dia dele, pai. Hoje, especialmente, para os FILHOS SEM PAI. 👀 Algum por aqui, é certo!

ALOOÚ pai? É você mexxmo? Que bom conhecer sua voz!

Você sabia que deixou em Realengo 3 lindas garotinhas? Garotinhas que acreditaram por anos que você trabalhava viajando e que chegaria com uma “Suzi” pra gente brincar…

Depois, nos consolamos achando que você tinha morrido no caminho de volta.

Ê pai, tão simples, ter outra casa, com outra esposa e outros filhos. Tão simples contar isso para as garotinhas no seu fim de semana de visita. Como conseguiu nunca, NUNCA ter um dia pra elas?

Conseguiu dormir sem lembrar que elas tinham fome, goteira no telhado, uniforme e livros para ser alguém nesse mundo de Deus?

(o tempo passou…)

Você achava mesmo que passaria por essa vida sem ser procurado pelos filhos que espalhou, inocente!

Você teria orgulho em conhecer as mulheres que suas filhas se tornaram, mesmo sem seu colo quando levavam um beliscão, pedrada, puxão de cabelo; Mesmo sem seu abraço, mesmo sem sua orientação quando o furacão hormonal chegou trazendo aqueles guris igual urubu na carniça.

Suas meninas as vezes tinham festinha de aniversário, outras vezes não. Mas, tiveram FORMATURA, aprovação em concursos, casamentos, empresas e netos 🙌. Você perdeu grandes espetáculos.

Triste por você.

Tirando a pouca capacidade para lidar com a figura masculina que atravessaram pelas suas mocinhas, de resto, impecáveis!

Estou ligando mesmo é para dizer que te procurei por muitas fases da minha vida.

Quase te achamos em casa, Junia – sua primeira neta – e eu, no seu sofá; bebemos água no seu copo. Usamos seu banheiro. Nos olhamos no seu espelho. Espiamos seu quarto.

Sua esposa chorava abraçada alisando os cabelos da Juninha, que cena! Te esperamos bastante, você demorou, mas recebeu nosso bilhetinho e rasgou.

Claro que sei, no dia seguinte ela me contou tudo, inclusive que te deu uma surra. Você apanhou quieto, calado. Saiu roxo e disse aos amigos que foi um acidente, um assalto.

Sua esposa sábia como um sabiá cantou a história para seus amigos; puxa pai,

Eis que de digo, não planejamos que fosse assim.

Fiz campanha esses dias novamente pra te encontrar. Mas quer saber?
Te encontrar pode decepcionar.  Sua ausência foi um estrago, ah se foi!
Mas sua presença, poderia ser um estrago maior ⁉️ – eterna dúvida.

Tantos casos que a vida teria sido melhor sem um pai portador de um peito sem coração, vai saber.

Papai do Céu tudo sabe, esse sim merece, Feliz dia dos pais!

Nosso programa #sabedo-Ria se despede dizendo que com pai ou sem ele {por qualquer infortúnio que tenha acontecido}, vale a pena viver, sorrir e seguir sendo um braço cheio de entusiasmo ajudando os que atravessarem nosso caminho.

💋 da vovórofa @vidademary

Feliz dos pais, mãe! 

Deixe seu comentário

11comentários

  1. Débora de Santiago - 11 de agosto de 2017 às 09:54

    Que emocionante! 😢
    Parabéns as mamães que também são papais! Elas merecem toda a homenagem nesse dia. 👏👏👏

    1. Mary - 15 de agosto de 2017 às 22:42

      Obrigada Debora. São muitas mulheres lutadoras que fazem o papel de mãe e pai.
      💋

  2. Juliana Barreto - 11 de agosto de 2017 às 09:59

    Que lindo, relato! Me emocionei muito ao ler o quanto vc esperou e imaginou esse encontro… fui me enxergando, e me dando conta, o quanto essa situação é constante mundo à fora.

    ♥️

    1. Mary - 15 de agosto de 2017 às 22:40

      Juliana, nossa capacidade de adaptação é perfeita. Tenho algumas recaídas de vontade de conhecer esse “maluco no pedaço” mas já estou desistindo. Creia, Deus cura essa ferida cada dia mais. agora não vou negar, os homens – marido, chefe, amigo, vizinho, funcionário – sofrem pq tive q aprender a me virar e depender de homem ainda é um mistério . Meu marido maravilhoso merece minha submissão e oro por isso todo dia. E cada dia estou melhor nisso.
      💋

  3. Karen - 11 de agosto de 2017 às 09:59

    Me emocionei 😢

    1. Mary - 15 de agosto de 2017 às 22:30

      É vc prima? Te amo

    2. Mary - 15 de agosto de 2017 às 22:31

      Se for você prima, te invejo muito pq seu pai é D+ Maravilhoso. Amooi

  4. Deyze Kelly - 11 de agosto de 2017 às 11:12

    Que história! É uma mistura de sentimentos aqui.
    Meu avô materno fez a mesma coisa com a “segunda família”. Só descobrimos que ele tinha outra esposa e outros filhos quando um deles apareceu de surpresa na minha casa. Eu ainda era criança e brincava na calçada. O homem, branco de olhos azuis como vovô, pediu pra chamar minha mãe. Era conversa de adulto e eu não sei o que foi falado. Até hoje nunca me contaram. Só sei que ele chegou procurando meu avô, dizendo que era filho dele. Acho que na época vovô já tinha falecido. Morreu de cirrose, de tanto beber. Morreu nos braços de mainha enquanto ela dava banho nele.
    Não lembro de muita coisa.
    Não sei por onde anda esse tio e o resto da segunda família. Só imagino que deva ter sido muito triste viver procurando pelo pai e quando conseguiu encontrar seu paradeiro ele já não estava mais vivo.

    Por outro lado, meu avô paterno agiu diferente. Minha avó morreu no parto de uma das minha tias, quando meu pai, o primogênito, só tinha 4 anos.
    Papai foi criado por vovô, que se desdobrou pra sustentar e cuidar dos 4 filhos pequenos. Minha bisa ajudou muito. Anos depois ele casou com a cunhada e teve mais 5 filhos.
    Vovô faleceu ano passado, vítima de um câncer. Só consigo ter boas lembranças dele. Me orgulho em ter seu sangue e vejo muito dele no meu pai e dos dois em mim.

    aiai, vou ali chorar um pouquinho…

    1. Mary - 15 de agosto de 2017 às 22:30

      Deyse, não há prova que não possamos suportar. Aquele que nos criou é sábio demais. Vamos prosseguindo certos que o cuidado de Deus nos ronda. Quando acontece algo que não concordamos, que na verdade bagunça com os sonhos….certamente vai ser usado lá na frente para incentivar os que estão vindo atrás.
      💋 @vidademary

  5. Aline Santiago - 13 de agosto de 2017 às 23:44

    Neste domingo do dia dos pais, estive a procura de uma palavra que não fosse algo para me fazer sentir melhor e nem algo que eu desejasse ler, mas que fosse atenuante; Este texto motivador aliviou a tristeza que eu sinto com a ausência deste ser que ao meu ver nunca deveria abandonar um filho(a).
    Viver sem pai não é fácil, é um sentimento de infelicidade e impotência, visto que eu já me perguntei diversas vezes o porquê dele não ter se interessado, como se eu tivesse culpa na escolha feita pelo próprio. Sou uma jovem de 20 anos, estudante e trabalhadora; tudo o que consegui e irei conseguir na minha vida é graças ao meu esforço e ânimo de vida (concedidos por Jeová), e sou grata as pessoas que fizeram parte da minha criação, sobretudo ao meu irmão Allan, sete anos mais velho que eu. Gostaria de parabenizar a autora deste texto e desejar muito sucesso a você; fico feliz porque alguém neste mundo e não tão longe (pois moro no Espírito Santo) entende como é passar por essa situação e mesmo assim não desistir de correr atrás de seus objetivos e sonhos.

    1. Mary - 15 de agosto de 2017 às 22:20

      Aline, você tem 20 anos, parabéns pela maturidade. Me lembrei dos meus 20 anos. Eu estava entrando na igreja pra casar. Esperando do marido, um pai. Não é fácil conviver com esse buraco. Mas como você disse, Jeová se manifesta e ele usa pessoas. No seu caso usou seu irmão e vai continuar usando outros mais. Até o momento em que essa moeda vai virar e você vai encontrar pessoas feridas e vai ajudar.
      Deus cuida de nós enquanto cuidamos das pessoas.
      Você já é vitoriosa e vem mais vitórias.
      💋 @vidademary