Diário de Gravidez da Ju – Trombose

Uma das minhas maiores preocupações na gravidez, foi, tem sido e acho que será até o fim da gestação a tal trombose! Não sei quantas mamães passaram por isso ou estão passando, mas é algo que tira a paz!

Nunca me preocupei com isso durante a vida inteira e para ser sincera não sabia ao certo o que era até abril do ano passado! Durante uma atividade na academia eu consegui quebrar o maléolo, um ossinho pequenininho que meu deu uma super dor de cabeça! Eu, que sempre fui muito durona, pensei que não era nada, mas o pé inchou de tal forma que tive que sair da academia de cadeira de rodas! Era impossível ficar em pé! Acho que nunca tinha sentido uma dor tão forte e uma sensação tão dura de achar que nunca mais iria andar! Que medo!  Mas fui atendida por um ortopedista que explicou toda a minha situação, fez todos os exames necessários e me prometeu que em 45 dias eu estaria andando novamente! Ufa! Mas havia uma condição (na verdade, várias!): ficar deitada, em repouso, sem colocar o pé no chão durante esse tempo. Confesso que era mais fácil pedir qualquer outra coisa, mas eu fiquei tão focada em ficar boa o quanto antes que logo na primeira semana em que fiquei super quietinha, tão quietinha que o pé começou a mudar de cor e ficar mais inchado! Eu achando a coisa mais estranha, voltei no ortopedista para falar que não estava melhorando, mas sim piorando…. e para nossa surpresa, quando ele olhou toda situação me encaminhou imediatamente para emergência com suspeita de trombose! Lá fui eu, ficar internada, tomar injeção e tentar reverter a situação grave de trombose. Foram 4 dias de internação, mais 90 dias de anti coagulante em casa!

Tudo passou, fiz novos exames depois disso e foi constatado que eu não tinha mais trombose! Que benção! Masssss, sempre existe um mas, não é mesmo? Estava bom demais pra ser verdade! O médico me disse que eu deveria me preocupar apenas quando ficasse grávida. E eu que achava que não ficaria grávida nem tão cedo, simplesmente ignorei e segui minha vida! Pois aqui estou eu, grávida! Tudo o que eu sei é que mulher grávida tem mais propensão a ter trombose, e quem já teve a probabilidade aumenta e muito!

23semanas_junia_004

Durante esses 6 primeiros meses de gravidez fiz muitos exames, passei por angiologistas, vasculares e hematologistas para estudar minha situação e conhecer detalhadamente o que se passava aqui por dentro!  Foi uma briga, uma luta porque aparentemente não se tem nada, está tudo bem, eu estou ótima! Quantas vezes ouvi isso! Mas, ao mesmo tempo, eu já ouvi tantos casos de mamães que perderam seus bebês por besteira, por falta de instrução, por falta de conhecimento do próprio corpo ou por falta de interesse dos médicos… nem dá para acreditar! Eu queria ter a certeza que havia feito a minha parte! Mas, o vascular me mandou para o hematologista, o hematologista me mandou voltar para o obstetra e o obstetra disse que não era com ele! E eu só disse: “Se acontecer alguma coisa eu culpo quem, doutor?” Foi aí que ele me mandou voltar para o hematologista!

Quando eu não estava grávida o meu risco era ter uma embolia pulmonar! Hoje depois de grávida, além do meu risco, o segundo risco é do coágulo se formar e comprometer a placenta causando altos riscos para a Chloe!

Dizem que a probabilidade de perder o bebê logo no primeiro trimestre é maior, mas a Chloe já mostrou para o que veio! rs… mas ainda existe probabilidade e preciso me cuidar nessa reta final! A perna fica inchada, ainda mais por trabalhar sentada, sabe? Tento variar as posições, levantar, fazer uma caminhada, colocar a perna pra cima, tudo para melhorar e evitar que se forme outros trombos! Tento beber bastante água, mas confesso que esse não é meu forte! Sempre esqueço! E já faz 1 mês que o hematologista me passou o AS infantil, pelo menos nesse mês de setembro que fiz muitas viagens de avião.

A próxima etapa será daqui 2 semanas, quando farei novos exames e descobriremos se será preciso começar com a profilaxia. Estou alerta e pelo o que parece, estarei até o fim da gestação!

Se você tem problemas de circulação, já teve trombose, tem casos na família ou tem ficado muito inchada, preste atenção e tenha certeza que você correu atrás e fez sua parte!:) Para as mamães que já passaram por isso seria muito bom ouvir de vocês, de preferência experiências boas, viu?rs

Um bj grande,
Jú e Chloe.
23semanas_junia_00723semanas_junia_02223semanas_junia_035

Deixe seu comentário

9comentários

  1. Luciane - 27 de setembro de 2016 às 18:31

    Eu já tive trombose. Foi logo depois que meu bebê nasceu. Foi muito difícil pra mim, pois tive que deixar de amamentar. Mas graças a Deus, consegui me recuperar, apesar das sequelas. É importante estar atenta ao menor sinal, e quanto mais rápido for o tratamento, melhor. Hoje meu bebê já tem dezoito anos! rs
    Eu estou bem e grata a Deus pela vida.

  2. Amanda C.O.R - 27 de setembro de 2016 às 18:55

    Nossa, Ju! Estou me identificando muito com vc! Me casei no ano passado, tenho 27 anos, e tive uma trombose na panturrilha aos 24 anos de idade. Tbm fico com receio de um dia engravidar e passar por todo esse cuidado por conta da trombose!!! Mas, que Deus cuide de vc e Chloe e lhe proporcione uma gestação plena!! Eu como leitora e futura mãe, estou aqui na torcida pra que dê tudo certinho para sua família!! Um grande beijo

  3. Paula - 29 de setembro de 2016 às 18:56

    Ju, eu tive trombose cerebral em 2012. Assim que confirmei a gravidez iniciei a aplicaçao de clexane.. Uma aplicação por dia ate o final da quarentena. Meu filho esta com 53 dias, a gestação foi muito tranquila e ele super saudavel!!! Preferimos nos precaver, como diz o ditado, melhor prevenir do que remediar. Outro cuidado que tive foi usar uma meia de compressao no parto e algumas semanas depois dele. Boa sorte!! Vai dar td certo!!!

    1. Anne - 14 de novembro de 2017 às 23:55

      Paula, tambem tive trombose cerebral. Se nao se importar de responder umas duvidas gostaria de deixar meu email. Obrigada

      1. karol - 2 de Janeiro de 2018 às 14:11

        oi.meninas tambem tive trampose celebral em 2014 na minha gestacao, se nao tiver problema gostaria de tambem trocas informacoes com voces!

  4. LARISSA - 18 de Maio de 2017 às 20:49

    Boa noite Ju. Acabo de descobrir que tenho trombofilia hereditária, e estou na 17 semana da gestação. Não tive nenhum sintoma e está tudo bem com o neném. Todos os lugares que li sobre o assunto, antes de descobrir que eu tinha, relatava que a injeção era só uma picadinha, mas eu senti uma dor/queimação durante a aplicação e alguns minutos após. Minha dúvida é, não dói mesmo ou é só uma comparação da dor com os benefícios que o tratamento proporciona, fazendo ela parecer insignificante? Queria saber os relatos de quem fez o tratamento durante a gestação. Se quando a barriga começa a ficar esticada, não dá medo de acertar o neném, etc. Pelos relatos que eu li, ao fazer o tratamento e acompanhamento médico de perto a gestação é bem sucedida e não causa problemas para o bebê. Minha preocupação nesse primeiro momento é só em entender como é a experiência de fazer o tratamento durante a gestação.

  5. Priscila Pinheiro - 5 de outubro de 2017 às 18:01

    Oi, Ju, parabéns pelo seu relato!

    Mas queria me dirigir à Larissa que perguntou sobre o tratamento de trombofilia na gravidez.
    Se você já tem uma trombofilia diagnosticada, é fato que deverá fazer o tratamento durante toda gestação e algum tempo após o parto também.
    Estou com 15 semanas e aplico as injeções de anticoagulante desde a descoberta do positivo. A dor da aplicação é tolerável e quem já passou por perda gestacional (meu caso) enxerga essa intercorrência como algo necessário para saúde do bebê. Não há preocupação na profundidade que a agulha alcança, pois a aplicação é subcutânea.
    A grande questão é o foco positivo que você deve dar ao procedimento, muitas mamães chamam de picadinhas de amor. Espero ter ajudado, um abraço!

    1. Ana - 2 de novembro de 2017 às 17:37

      Eu perdi um bebê ano passado. Mês passado diagnosticou trombofilia hereditária. Estou tentando engravidar. Muito bom seu raciocínio. Vale quantas furadinhas for pra se concretizar o sonho da maternidade.

  6. Gabriela Brazil - 1 de dezembro de 2017 às 22:23

    Que coincidência. Tive trombose por uma queda que resultou na fratura do metatarso – pé. Eu cheguei a imobilizar, mas tava ficando roxo, pesado..fui internada prá tomar medicação. 8 meses depois estava eu grávida, mas já tinha feito os exames de trombofilia, todos negativo..minha filha nasceiu prematura, mas por um rompimento da bolsa – eu tenho hipotiroidismo e é provável que tenha ajudado – Hoje eu ainda sou meio neurótica com trombose…tem quase 3 anos e meu pé incha muito ainda e o seu?