Sem escolinha por enquanto – {Desabafo de Mãe}

Uma das coisas que mais me perguntam é: “e aí, quando a Bela vai pra escolinha?”.

Geralmente respondo “ainda não” (rs). Na verdade, eu não sei dizer quando será exatamente, não pensei nisso ainda, muito menos pesquisei escolinhas.

 

A Bela apresentou complicações respiratórias nos últimos dois invernos. Foram dois quadros de pneumonia, chiado e diante dessa pré-disposição para doencinhas no pulmão, o mais indicado, de acordo com a pediatra, é segurar por um tempo a escolinha, já que lá a Bela estaria em contato com muitas crianças. A gente sabe bem que essa fase é uma doença atrás de outra pra quem frequenta escolinha (pelo menos é assim com a maioria das crianças).

Eu gosto dela em casa e não tenho pressa pra nada. A Bela está ótima! É uma menininha calma, sapeca na medida, superinteligente e esperta, adora a casinha dela, o lugar dos brinquedos, a rotina, a brinquedoteca e os parquinhos do condomínio…

E mais, ela só tem 1 ano e 8 meses, então, por que a pressão? Eu fui pra escola com 4 anos e me considero inteligente (modéstia à parte hahaha) e não acho que fez falta para o meu desenvolvimento não ter ido antes. Meus pais falam que foi uma das decisões mais acertadas porque eu adorava fazer dever junto da Junia, pedia tanto pra ir pra escola, que quando chegou a vez de colocar a mochila e dar tchau tchau na porta da escola, fui com tanta sede ao pote que me tornei essas crianças nerds (ahahah). A vida toda nerd! (Tudo bem que foi quase o fim do mundo quando a menina nerd falou “vou ser blogueira”, mas deixa isso pra contar outra hora!)

Voltando ao assunto, o Diego e eu temos o costume de conversar sobre a Bela tentando analisá-la como se não fosse nossa filha, sendo imparciais. Difícil, não é mesmo? (rs). Mas é bem legal. Algumas coisas que eu não enxergo por ser mãe babona, ele pondera e eu reflito. Mas outras vezes não adianta. Exemplo, Diego é realista e fala que o cabelo da Bela tá bem estranho. Eu, que só consigo ver beleza, logo falo que tá lindo e estiloso hahaha). Temos noção de que a Bela é “bicho do mato” e “fresquinha”. Ela é a menina mais fofa e delicada do mundo, sorri para todos na rua, mas não toquem nela! Adora o contato físico com quem já conhece e pronto. A gente passa cada vergonha quando uma criança vai abraçar e ela sai correndo, ou desvia o corpo, ou chora mesmo! Quando chega visita ela também demora a se soltar e fica bem desconfiada. É o jeito Bela de ser (rs).

Esse é o grande motivo pelo qual os pais falam que o bebê/criança precisa ir pra escola. A minha opinião é a seguinte: se isso realmente incomoda os pais, coloca. Se não, espera porque o bebê está em constante mudança. E, existem outras formas de integrar mais, como brincar na rua, levar pra casa das primas no final de semana, conversar, deixar com os avós e tios de vez em quando, etc.

Ainda sobre essa coisa de “analisar a Bela como se não fôssemos os pais dela”, chegamos à conclusão de que se percebêssemos um desenvolvimento retardado em alguma área que realmente fosse preocupante ou que nos incomodasse, pensaríamos na escolinha. Deixa eu explicar: a Bela demorou pra rolar, pra engatinhar, pra andar. Ela é calma e gosta de observar mais do que tudo. A gente reparou que ela “demorou” a desenvolver a parte motora (esse “demorar” muda conforme o ponto de vista porque não existe data certa pra nada). Ninguém achou estranho ela não rolar aos 5 meses, não engatinhar aos 9-10 meses. Mas, quando fez 1 ano e 4 meses alguns comentários eram do tipo: “coloca na escolinha pra ver outras crianças andando”. Mas gente, que pressa com esse negócio de andar! (o vô da Bela, meu pai, confessou que achava que ela não ia andar! Vê se pode?! Quase dei um beliscão nele… É cada uma, viu!). Ou seja, foi um desenvolvimento retardado (baseado em todas as crianças/bebês que conhecemos) mas que não foi algo que nos fez achar que a escolinha era a solução.

O que eu quero dizer é que a escolinha, assim como todas as outras escolhas, é opção dos pais, de acordo com a rotina da família, de acordo com o desenvolvimento e necessidades do bebê. Eu tenho certeza que se a Bela fosse para a escola hoje, passaríamos por uma fase de adaptação beeeem demorada e traumática. Sinceramente, não tô a fim!

Eu tenho uma rotina bem pesada e estranha. Tem dias que largo tudo e fico com a Bela, tem dias que passo o dia fora, outros estou em casa, mas com muito trabalho no computador… Muitas vezes não tenho aquele tempo de qualidade perfeito, sabe? Mas sinto que de alguma forma, entre uma brincadeira e outra, quando ela passa pelo escritório e me vê, sente segurança. Ah! E quando escuto birra e chororô lá na cozinha, vou ver o que é e posso dar aquela bronquinha básica (rs).

Ah! Isso só é possível porque eu tenho uma pessoa que me ajuda durante a semana e passa grande parte do tempo com a Bela, faz as comidinhas saudáveis e leva para o parquinho quando eu não posso.

Gosto do fato de ela estar em casa e ter que inventar brincadeiras com objetos aleatórios, de fantasiar coisas, explorar os cantinhos atrás da cortina, entrar no guarda-roupa, sair fechando e abrindo todas as portas dos armários. Também é uma forma de mantê-la segura, ter a cria embaixo das asas, sabe?. Somos tão privilegiados por morarmos em uma casa com quintal e rua tranquila! Vamos aproveitar o máximo que der!

É isso! Por enquanto sem escolinha.

E vocês? Já colocaram na escolinha? Ainda não? Estão na dúvida? Curtindo a cria em casa? Curtindo as novidades com a escolinha? Contem pra gente!

Lore e Bela mandam beijos!

quem faz parte desse post

Mochila: Beterraba 

Deixe seu comentário

8comentários

  1. Debora - 9 de Maio de 2017 às 15:43

    Oi Lore, aqui tenho uma de 1 ano e 9 meses , que também é um doce mas odeia ser tocada por estranhos, é simpática mas costuma estranhar as pessoas que não fazem parte do seu meio.
    Entrou na escola faz um mês , eu jurava que a adaptação escolar seria difícil demais , porém começou a chorar no segundo dia , e seguiu por 2 semanas , conversava muito com ela passando segurança até que um dia foi correndo abraçar a professora e me deu tchau .’
    Costumo até ficar um pouco chateada com essa história de algumas pessoas falar que é bicho do mato ou anti social , mas acredito que é uma fase.

    Super beijo!

    1. Dani - 9 de Maio de 2017 às 17:35

      Bicho do mato e anti-social?! Aff… Tenho pavor que me falem isso.

      Vc acha normal pessoas que vc não conhece “tocar” em vc? Sai sorrindo para todo mundo? Pq nossos bebês tem que ser assim e aceitar isso?

      Tenho preguiça de rótulos. A maioria das vezes tento explicar, mas confesso que já estourei algumas vezes!

      1. Sabrina - 9 de Maio de 2017 às 21:57

        Penso igual! Eu não beijo e nem abraço estranhos, porque minha bebê tem que fazer isso?!

  2. Fernanda petelinkar - 10 de Maio de 2017 às 02:32

    Aqui foi a mesma coisa! Rodo mundo querendo saber quando eu ia colocar a Jojo na escola! Um saco, pq chega uma hora que vc começa a se achar um ET. Mas aguentei firme até quase 3 anos dela. Já cheguei a dizer que só colocaria com 4 mas achie mesmo que estava hora. E os motivos de eu querer ter ela em casa e não na escola foram os mesmos que o seu. Tinha pessoas de confiança por perto sempre, não queria expor ela a viroses tão cedo, e graças a Deus ela nunca tomou antibiótico! Mesmo agora que pega as viroses escolares, é sempre mais fraco. É isso aí! Segura as pontas e aguenta os palpiteiros de plantão. Escola raramente é necessidade das crianças e sim dos pais, que não tem com quem deixar, trabalham e dependem da escolha pra isso. E se a Bela é mais reservada, nada tem a ver com o fato dela não ir na escola. É personalidade dela e pronto. Um super beijo pra vcs!!!!

  3. Jacqueline - 21 de junho de 2017 às 11:04

    Ahhh, este assunto dá pano pra manga!rs Minha filha tem 1 ano e 6 meses e escuto VÁRIAS e VÁRIAS vezes algumas críticas por ela não estar na escola. Dizem para colocá-la para que se desenvolva. Mas, de verdade, minha filha não tem nenhum sinal de retardo….nossa, o povo gosta de falar demais. Parei de trabalhar fora para ficar com ela e por isso, quero curtir cada momento com ela. Fui para a escolinha com 3 anos e, penso que ela vai ficar a maior parte de sua vida na escola…então, deixa ela curtir um pouquinho em casa e com a mamãe! Tenho pra mim, que o desenvolvimento vai muito do estímulo e, toda mãe estimula seus bebês. Tenho coleguinhas da minha filha que estudam desde os 6meses e não vejo diferença no desenvolvimento delas.

    1. Lápis de Mãe - 28 de junho de 2017 às 18:55

      Está certa, Jacqueline!
      Ninguém conhece melhor sua filha do que vc!! Aproveite cada minuto e cada momento que vc puder estar ao lado dela pq passa muitooo rápido!!
      Beijos

  4. Larissa - 7 de julho de 2017 às 15:12

    Eu não tive escolha, meu filhote entrou no berçário com 8 meses, primeiro começou meio turno, depois o turno integral. Eu e meu esposo trabalhamos o dia todo, não tínhamos com quem deixá-lo, então nunca pudemos pensar na possibilidade de retardar a entrada na “escolinha”. Não tenho o que falar disso, adoro o berçário dele, é pequenininho, poucas crianças, tias atenciosas, comidinha saudável, e muitas brincadeiras. Lá, percebemos sua paixão por música e instrumentos musicais, ele simplesmente é apaixonado pelas aulinhas de música. Agora, ter entrado no berçário tb não o deixou mais “sociável” kkk. ele é meio desconfiado, tb só começou a andar com um pouco mais de 1 ano e 2 meses. Talvez se eu tivesse como escolher, poderia ter tomado outra decisão ou não também, não sei.

    1. Lápis de Mãe - 10 de julho de 2017 às 10:32

      Que ótimo, Larissa! Bom quando podemos ficar em paz porque nossos filhos estão sendo bem cuidados!
      Infelizmente muitas vezes não temos escolhas, mas se ele está bem e se desenvolvendo direitinho é o que importa… 🙂
      Beijinhos