{Relato de Parto} A vontade de ser mãe – Lu Simão

Ser mãe foi um grande presente para nós. Nossas filhas nos transformaram em pessoas melhores, mudaram nossas prioridades e nos tornaram mais fortes. Se pudermos dar um conselho à todas as mulheres que ainda estão em dúvida sobre a maternidade é, tenham filhos. É um amor inexplicável!

Por isso, trouxemos o Relato de Parto emocionante da talentosa Lu Simão, que está `a frente do Abê Studio Criativo, e o sonho realizado de se tornar mãe e não apenas uma, mas duas vezes. Hoje, ela é mãe da Manuela e do José.

A vontade de ser mãe

“Tínhamos um ano e pouco de casados quando senti vontade de ser mãe. É engraçado esse negócio de “ter vontade” (rs). Acho que é um clique mesmo que dá na gente, os hormônios fala mais alto, não sei. Só sei que eu tive muita vontade. Conversei com meu esposo sobre esse desejo e juntos decidimos começar a tentar. Tinha certeza que engravidaria rapidamente, afinal,
éramos jovens e saudáveis.

Porém não foi bem assim. Foram onze meses de espera pelo nosso positivo, pela notícia que mudaria toda minha vida a partir dali. O segundo tracinho no exame do xixi era o que eu esperava e desejada com todo meu coração e veio!

Tive uma gestação tranquila, apesar de meu marido ter sido transferido a trabalho para Campinas (e eu fiquei em Belo Horizonte) assim que descobrimos a gravidez. Passamos sete meses à distância, nos encontrando somente aos finais de semana e trocando mensagens pelo celular.
Fiz muita coisa sozinha nesse período: exames, consultas, até os desejos de grávida por açaí na madrugada. Por mais longe que o Wagner estivesse, sentia ele muito próximo. Talvez por carregar parte dele dentro de mim.

Comecei a querer contar mais sobre o que eu estava sentindo para ele. Comecei a querer que ele soubesse como eram meus dias, minhas sensações com a nossa filhota na barriga. Além de palavras e fotos, fiz isso através dos meus desenhos. Ele dizia que eu era magrinha e com um
barrigão, que parecia uma letra B (rs). Criei então uma personagem ilustrada chamada “Bê”, que era uma grávida super bem humorada que falava sobre todos esses sentimentos (vocês podem conferir esse projeto que surgiu com o nascimento da Manuela @eusouabe). Durante meses era assim que nos comunicávamos sobre a gravidez, de uma maneira leve e engraçada e que ajudou a encararmos nossa distância numa boa.

Decidimos que ele voltaria definitivamente perto do nascimento da nossa Manuela.
Os dias que antecederam o parto foram sensacionais. Muitos desconfortos,confesso.  Mas uma expectativa inexplicável: eu finalmente veria a carinha da minha menina.

O parto

Rezando por um parto normal, tentei ser sensível o suficiente para perceber que a hora havia chegado. Minha bolsa rompeu lentamente, ao longo de quase 12 horas. Sem contrações, sem dilatação, mas com uma enorme certeza de que tudo daria certo e de que Deus estava ali conosco.

Brinco que o parto é do pai, da mãe e do filho e é mesmo! Tivemos um parto lindo, cheio de emoção e carinho, muito natural e doce. A Manuela nasceu no dia 28 de fevereiro de 2015, às 3:07 da manhã,de parto normal, bem gordinha e cor de rosa. E quando ela me olhou,  tive certeza que ela era um ser iluminado, que me ensinaria muito, talvez tudo o que eu precisava saber.

Novas descobertas

Minha transformação começou ali. Meu aprendizado também. Quantos conceitos foram por água abaixo, quantos sentimentos novos, quantos valores eu descobri que tinha e quantos outros se tornaram irrelevantes. Meses de descobertas, conflitos e angústias. Meses de amor. Não sabia mais quem eu era, quem éramos, como seria depois dela. Aos poucos as coisas foram
chegando ao seu lugar, fomos aprendendo a ser pais e gostando muito dessa experiência.
Quando a Manuela estava com 7 meses de vida eu engravidei novamente. E antes que alguém pergunte, sim, foi planejado, desejado e uma loucura.  Mas viver tudo novamente, seria uma delícia!   Agora com maturidade, com tranquilidade, sem grandes surtos.

Esperando o José

Nosso José estava a caminho. Uma gravidez que passou rápido demais, num piscar de olhos. Tive medo de não dar conta, tive medo da reação da Manuela, tive medo de ter feito a escolha
errada. Em 13 de julho de 2016, o medo passou. Dois imensos olhos azuis fitaram os meus. Paixão a primeira vista, sensação louca e indescritível! 
Agora éramos quatro! Quatro amores, quatro vidas, quatro corações em um só!

O que a maternidade fez por mim? Me fez renascer, me re-conhecer. Ela me ensinou a ser mais paciente, menos imediatista (demorei quatro meses para mandar esse relato, rs) mais tolerante, mais amorosa, menos egoísta.

A maternidade me ensinou a ter CORAGEM! Transformei toda minha vida profissional em função de meus filhos e da flexibilidade que eu queria ter. Tive coragem para me dedicar a fazer o que eu realmente amava, o que me movia, o que dava propósito para minha vida.

E aqui estou eu, mãe da Manuela e do José. Uma pessoa que encontrou outro sentido para a vida depois da maternidade. Uma pessoa que sabe O QUÃO DIFÍCIL é cuidar de um filho, mas o quanto é MARAVILHOSO também.

Transformação que não tem volta. amor que ensina e que multiplica. Sentido para a vida”.

quem faz parte desse post

Fotos: Studio Tertúlia

Deixe seu comentário

5comentários

  1. Wclledja - 28 de junho de 2017 às 14:56

    Que lindo relato! Muito amor em cada palavra.

  2. renata - 4 de julho de 2017 às 16:11

    Estou apaixonada por esse relato.

  3. Nayla - 3 de agosto de 2017 às 09:09

    Que liindo…Emocionte💖..
    Acho que o meu click estalou aqui também a 1 mês…Agora é tentar e esperar 😍

    1. Lápis de Mãe - 4 de agosto de 2017 às 15:14

      Aiii que legal essa notícia, Nayla!! Parabéns, vamos adorar saber tudinho!! 🙂 Beijos

  4. Elisa Mazzuca - 28 de setembro de 2017 às 16:38

    Que surpresa deliciosa encontrar o relato da Lu por aqui… sou muito fã do ser humano, mãe e profissional incrível que ela é.. e tem tudo a ver com a essência do lápis de mãe.. ♡ eu gravidinha desse lado me emocionei com cada palavra.. a maternidade realmente nos trás um amor transformador ♡