Categorias Lápis de Mãe No Ar

{Rádio Lápis de Mãe} Curiosidades sobre a Vovófa

Um dia desses, preenchendo um livro bem legal “UMA PERGUNTA POR DIA PARA MÃES: DIÁRIO PARA 5 ANOS” me deparei com a seguinte página: “O QUE VOCÊ GOSTARIA DE PERGUNTAR À SUA MÃE?” Percebi que tinha tantas questões e fiquei pensando nela o dia todo!

“Como foi seu parto? Doeu muito? Quais eram suas incertezas? E seus maiores medos? Como você deu conta de duas bebezinhas? Você era mais Junia ou mais Lorena? Qual a maior loucura de amor você já fez pelas suas filhas? Como você viu e vê atualmente a maternidade? Que conselho você me daria para ser uma mãezona como você foi? Como podemos melhorar como filhas pra você? Qual era o seu maior sonho para nós? E pra você? Quais eram os seus maiores sonhos? Me ensina a ser mãe?”

Externei esses pensamentos e fiz uma postagem no Instagram. Para a minha surpresa, no dia seguinte chegou um email dela cheio de respostas! Que emoção!

Chorei, ri, tudo junto e misturado! Que coisa boa poder ter respostas! Já estou fazendo uma listinha de novas perguntas para conhecer mais da minha própria mãe. Talvez esteja na hora de você fazer perguntas para sua mãe também, tenho certeza que ela terá muitas coisa para ensinar… Se você quiser eu empresto a minha mãe também, pode perguntar o que você quiser e ela vai responder com a maior alegria!:)

Vamos às respostas?

Meu parto não doeu. Fui pra consulta e fiquei internada. Hipertensão.
O almoço no leito foi um arroz com espinafre muito salgado. Erraram o quarto, imagino. Eu comi. Me deram um diurético mas não colocaram a sonda pra eu descansar. Levantei pra urinar a noite toda e sem dormir. Maluco, a PA de qualquer um degringola.
Resultado final: Pré Eclampsia PA 23×13 = cesariana.

“Visamos salvar mãe” – conversa do médico. Humano hein?
Sabãozinho de coco é forte. Nasceu linda é pouco!
E a bolsa maternidade? Não existia. Eu teria ainda 7 semanas pra cuidar disso. Lesadinha eu.

O pai foi com a motoca 125 buscar os trapinhos e conseguiu dormir no caminho. Voltou parecendo que foi ele quem sofreu uma cesárea sem anestesia! haha
Com agenda pra cantar em Brasília, ele se arrancou de carro cantando “Ai Ai Ai, LuLu já é papai.”

Meu parto não doeu na hora, mas… Depois, minina, quê que foi aquilo?

1. Incerteza? Não conhecia. Certeza eu tinha que iria ajudar o seu pai a se tornar um grande homem.
Medo? De ir no banheiro que era lá fora.

2. Como dei conta de 2 bebezinhos? Não dei conta. Demos conta. Tia Nini, Luciene, sua avó Sara, Nivaldina, Judite, seu pai. E os anjos!!

3. Se eu era mais Junia ou mais Lorena? Eu era mais eu!
Primeiro eu comia pra ter paciência de dar comida pra vocês.
Eu ia pra praça pegar meu sol e se vocês quisessem iam comigo. Meu sol era sagrado. Quando você não sabia andar, tinha que ir comigo querendo ou não.
Primeiro eu dormia e a equipe guarda costas de plantão cuidava. Pra depois, eu descansada, fazer minha parte. Minha parte de contar historinha, belas histórias. Ta decepcionada né? Mas era!

Uma coisa eu tinha em mente. Vou trabalhar logo meus 30 anos de trampo pra aposentar e ficar à disposição. Disposição de quê? Disposição de tempo pra estragar a educação dos filhos de vocês. Hahahahaha

Loucura de amor: dar plantão à noite (porque não sou ninguém sem dormir) pra ter o dia com vocês. Mesmo chegando morta e indo dormir um tiquinho, eu estava ali pra juntar os cacos. Ali pra olhar o estrago. A testa quebrada. A língua partida. A mordida que a amiguinha te deu.
Ali pra chamar a polícia porque o vizinho arrancou as calças e mostrou documentos. Ali como uma ursa!

Sonhava que Junia seria cantora. Lorena, juíza.  Etiene, professora de farmacologia.

Conselho?
Jogue o ferro de passar roupa fora. Deus fez o mundo sem ferro. Ainda mato o inventor.
Deixe a casa bagunçar um pouco.
Poste dia sim / dia não nesse blog.
Confiem que Deus constrói o que não podemos no quesito caráter dos filhos. DNA está lá dentro, e segue o seu curso.
Não deixe nada para as filhas. Não deixaram para nós. Não deixamos para vocês e vocês construíram. Faz bem lutar!

Meu maior sonho era ficar fora do Brasil todas as vezes que as igrejas nos levaram pra terrinha do Tio Sam. Como sou submissa, não realizei esse sonho.

Fazer algo por mim? Vocês como filhas poderiam pagar meu cartão Amex. Conta de luz. IPTU. Plano de saúde.

Eu faço isso pela minha mãe. Aprendam, viu? Há!

Deixe seu comentário

5 comentários

  1. Hahaha me acabo de rir. Nem sabia q ela sonhava q eu fosse professora de farmacologia! Justo farmacologia? Não poderia ser outra matéria não? Tipo, fisiologia? Haha
    Comédia!
    Te amo Maryzinha ❤️

Publicidade

Junia Lane