Menino ou Menina? Descobrindo o Sexo após o Nascimento

Já pensou em descobrir o sexo do seu bebê após o nascimento dele? Hoje vamos compartilhar a história da Mariana e do Gabriel, um casal jovem que decidiu esperar para saber o sexo do seu bebê só depois que ele estivesse no mundo. Já podem imaginar a ansiedade que foi, não é mesmo?

Amamos histórias que nos deixam ansiosas para saber o final, e o relato da Mariana nos dá essa sensação gostosa só de ver as fotos! A sessão incrível foi feita por uma fotógrafa que amamos e admiramos muito, que é a Fernanda Petelinkar. Talentosíssima, a Fe – mamãe empreendedora e dona do Achei o que eu queria –  fez um ensaio duplo, do antes e depois com o bebê.

O primeiro ensaio, com a barriga, foi junto com os irmãos gêmeos do bebê montando o bercinho. O papai Gabriel já tinha passado pela experiência de ser pai aos 16 anos, mas conta que, apesar disso, se tornar pai depois de tanto tempo foi completamente novo para ele. O segundo ensaio, foram os 4: papai, mamãe, bebê e o melhor amigo, Chicão. Uma família linda e cheia de alegria transbordando!

Ficou curiosa para saber qual foi o sexo? Então leia até o final!:)

Relato do Parto

Minha gravidez foi dor e delícia. Delícia nos 8 primeiros meses, dor nos 2 últimos. Fiquei quase 10 meses grávida. Completei 41 semanas de gravidez, foi insano! Desenvolvi uma alergia a placenta, o que me impediu de dormir por 7 dias seguidos. O corpo todo coçava, era como se eu estivesse com 1000 picadas de mosquito.

O trabalho de parto foi super rápido e, de alguma forma, maravilhoso. Aconteceu no hospital, porém foi humanizado. Nunca senti tanto medo na minha vida, dá muito medo.
E a dor? A dor é muito intensa! Quero matar quem foi que disse que dor de parto é igual uma cólica forte, essa com certeza pariu com anestesia! haha

Durante todo o trabalho de parto estávamos só eu e meu marido Gabriel. Arrisco dizer que ele pariu comigo: me dava mel, Gatorade, ficou do meu lado o tempo todo. Quando o bebê nasceu, ele passou mal, a adrenalina desse momento é indescritível.

Em 6 horas já estava completamente dilatada para o bebê sair. Queríamos um parto natural e assim foi. É maravilhoso poder dizer e sentir que vivemos isso como casal, acredito que esse é um dos maiores benefícios de um parto normal.

O mais irônico de tudo? Só olhamos o sexo do bebê 5 minutos depois que ele nasceu! O bebê foi direto para o meu peito e ficou ali, só depois abrimos o lençol para ver se era menino ou menina. A experiência é tão profunda, que esse dado ficou irrelevante naquele momento.

Meu pós parto foi cruel, e apesar de ter sido um parto natural, estava muito cansada. O esforço físico e mental foi enorme. E ter energia para amamentar logo após tudo isso, é praticamente uma missão heróica. Além, claro, de todas as questões hormonais.

O sexo do bebê

Foi muito emocionante não sabermos o sexo do bebê antes. As pessoas tentavam adivinhar, faziam brincadeiras, ficavam na expectativa… É muito bacana essa espera, afinal, qual é a diferença: menino ou menina? Então curtimos essa dúvida também. E a gente recomenda, foi muito divertido.

Somos um casal bem descontraído em relação a criação do Arthur, alguns dizem que até demais. Mas adotamos o nosso jeito e tentamos não ter medo de assumirmos esse papel tão desafiador da maternidade/paternidade. Acreditamos que é o Arthur que tem que se adaptar ao nosso estilo de vida, e não o contrário.

Arthur dorme em seu quartinho, em seu berço desde que chegou em casa, não é fácil ter essa segurança, tenho que confessar, mas vale o esforço. Ele é um bebê super seguro. Fui uma mãe que me recusei a ficar trancada dentro de casa durante minha licença maternidade, ao contrário, depois das primeiras semanas, viajamos e curtimos muito.
Ele é um bebê amado e muito feliz!

 

quem faz parte desse post

Fotos: Fernanda Petelinkar Fotografia | Letra de crochê: Achei o que eu queria

Deixe seu comentário