Final da Gestação – Cuidado e Atenção Especiais

Como vocês já sabem, estou no finalzinho da gravidez. O Pedro está cefálico e quero muito que tudo se desenvolva para um parto normal. Desde o começo, fui à procura de profissionais que não apenas apoiam como fazem acontecer; que se preocupam com detalhes e são muito profissionais! Já contei da minha médica aqui, e já apresentei nas redes sociais a Ivanilde Rocha,  enfermeira que está me acompanhando de perto. Muito bom ter auxílio, cuidado, informação e segurança.

Na semana passada ela falou um pouco sobre parto humanizado! Se você tiver alguma curiosidade e quiser tirar suas dúvidas, pode clicar aqui para ver o post super esclarecedor.

Além dos cuidados com a alimentação e com o corpo, cuidar da alma é fundamental. Manter a calma, desacelerar, manter uma conexão direta e constante com o bebê fazem toda a diferença. Por aqui é uma luta constante! Com a correria do dia a dia, as tarefas e rotina da Bela, alguns dias passam tão depressa que só não esquecemos da barriga porque o bebê nos lembra bem com chutes em média e grande escala! (rsrs).

Ainda bem que a minha enfermeira faz um bom uso do Whatsapp e manda mensagens puxando a orelha e perguntando “e aí? Tá se cuidando? Já fez os exercícios?”

Você está na reta final da gestação mas ainda tem dúvidas sobre os últimos procedimentos? Para você, gravidinha que está passando pelos últimos momentos, hoje falamos um pouquinho sobre os procedimentos e cuidados importantes para o final da gestação. Com vocês, 4 dicas importantíssimas para o final da gestação, da minha parteira Ivanilde Rocha.

USO DA BOLA SUÍÇA NO FINAL DA GESTAÇÃO

O uso da Bola Suíça, também conhecida como Bola de Parto ou Bola de Bobah, permite a gestante relaxamento da pelve e do assoalho pélvico, além do alívio das dores lombares e sacrais, que são comuns no final da gestação. A bola pode ser usada para exercícios durante toda a gestação, mas no final é de grande importância.

Durante o trabalho de parto, esta bola será para ajudar na mudança de posição, auxiliar na movimentação, diminuir as sensações dolorosas das contrações e aliviar dores na região lombossacra ou lombar e sacral.

IMPORTÂNCIA DA AUSCULTA DOS BATIMENTOS CARDIOFETAIS

A ausculta dos batimentos fetais durante a gestação é extremamente importante porque é o que indica o bem-estar fetal. Os batimentos cardíacos normais do bebê variam entre 120 e 160 bpm (batimentos por minuto).

O local de ausculta:
Quando a apresentação é cefálica (o bebê está de cabeça para baixo), o foco (ponto de melhor ausculta dos batimentos cardiofetais) se encontra nos quadrantes inferiores do abdome materno, à esquerda ou à direita, conforme o lado que está o dorso fetal (as costinhas do bebê).
Se o bebê está sentado o foco é auscultado no quadrante superior direito ou esquerdo.

Não sei se observaram que a ausência ultra dos batimentos cardíacos do Pedro foi auscultado no quadrante inferior direito da barriga da Lorena, o que apontava que ele já havia virado de cabecinha pra baixo. O USG feito 2 dias depois confirmou que ele estava virado e com as costas à direita da Lorena.

ATENÇÃO: à partir das 36 semanas de gestação, a consulta com a médica ou enfermeira obstetra da equipe deve ser semanal, pois é muito importante a ausculta dos batimentos cardiofetais (BCF) para avaliação do bem-estar fetal e outras avaliações).

IMPORTÂNCIA DA VERIFICAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL

Apesar da medida da pressão arterial ser um método simples e aparentemente fácil, é de grande importância que este controle seja feito durante toda a gestação por um profissional de saúde.
No início da gestação, todas as gestantes apresentam uma diminuição dos níveis pressóricos até por volta de 20 semanas. Depois a pressão tende a voltar aos níveis antes da gravidez. No terceiro trimestre (à partir de 28 semanas), é de extrema importância o controle da pressão arterial da gestante porque é nesta fase que pode surgir a Hipertensão Arterial.

No final da gestação este controle se torna mais importante ainda, e deve ser feito semanalmente para que a vida da mamãe e do bebê não corram perigos.

Durante o trabalho de parto o foco de ausculta gradativamente se desloca para baixo e em direção à linha mediana do abdome. Encontra-se nos quadrantes superiores do abdome, à esquerda ou direita na apresentação pélvica.

CUIDADOS COM O PERÍNEO

Em estudo retrospectivo com primíparas que comparou as condições do períneo entre as mulheres que praticavam exercícios perineais em casa e as que não praticavam. Os exercícios eram praticados com a introdução intravaginal de um dilatador perineal de silicone e deveriam ser realizados durante 10 minutos por dia e entre 37 e 40 semanas de gestação. Conclusão: Houve redução na ocorrência de episiotomia entre as mulheres que praticavam exercícios perineais em relação às taxas desse procedimento publicadas no mesmo país do estudo.

  • Não se recomenda a massagem perineal durante o segundo período do parto (período de expulsão);
  • Considerar aplicação de compressas mornas no períneo no segundo período do parto;
  • Não se recomenda a aplicação de spray de lidocaína para reduzir a dor perineal no segundo período do parto;
  • Proteger o períneo e flexionar a cabeça fetal ou não podem ser usadas;
  • Não realizar episiotomia de rotina;
  • Se uma episiotomia for realizada, recomenda-se a médio-lateral;
  • Assegurar analgesia efetiva antes da realização de uma episiotomia.

Veja também:
Primeiro Trimestre
Segundo Trimestre
{Diário de Gravidez} Encontrei minha médica

quem faz parte desse post

CONITEC – Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS, Brasil, 2016

Deixe seu comentário

6comentários

  1. Laudenire - 26 de Março de 2018 às 13:39

    INFORMAÇÕES IMPORTANTISSIMAS…

    PARABÉNS PELO E CARINHO E DEDICAÇÃO DE NOS MANTER INFORMADA…

    BOA TARDE!!!
    VOCÊ ESTÁ MUITO LINDA, QUE DEUS ME CONSEDA ESSA GRAÇA TAMBÉM 🙂

    1. Lápis de Mãe - 27 de Março de 2018 às 15:41

      Obrigadaaaa!

  2. Antonio Carlos - 6 de Abril de 2018 às 00:42

    Olha eu teria cuidado com essa profissional e seus conhecimentos.
    Aproveitando que está em Samoa, visite a Julie Cristine no Hospital do Campo Limpo, seu pequeno Airan (nascido com essa “excelente” profissional e converse com os profissionais daquele hospital.

    Pode ser MUITO útil para você.
    Ainda da tempo!!!

    E parabéns por seu cuidado e dedicação com seu Baby.

    Só não da publicidade para qualquer profissional.

    1. Anderson - 13 de Abril de 2018 às 07:32

      Bom dia Antonio Carlos,
      Nossa muito legal de sua parte acusar pessoas que não podem se defender né? Lembrando que nesse caso a escolha pela profissional foi da gestante! Quer falar de números, estatísticas, isso é fácil, há quantos anos essa profissional exerce essa profissão? Qual seria a taxa de sucesso e insucesso? Acredito que respondendo essas perguntas básicas podemos disser um pouco sobre a profissional. Fatalidades ocorrem dentro dos hospitais o tempo todo, quem trabalha com saúde sabe muito bem, acredito que não seja o seu caso né?! Aproveite a faça uma visita na AACD e converse com a mães que lá se encontram e verifique quantas delas tiveram partos igual desta gestante citada acima? Verifique quantas tiveram parto hospitalar (que é considerado local seguro)? A gestante citada pelo Sr. deve ter sido instruída dos riscos que envolvem a gestação e parto, nesse caso optou por quê?
      Bom, estudos científicos estão disponíveis para provar tudo o que estou dizendo.
      Para refletir: O primeiro sinal de ignorância é presumirmos que sabemos (Baltasar Gracián y Morales).

  3. Camila Rodrigues - 6 de Abril de 2018 às 01:01

    Exatamente Antonio Carlos,
    Precisamos cuidar com informações e “dicas” passadas, afinal, somos responsáveis por tudo o que fazemos, seja nesse mundo ou pelas mãos Divinas.

    Propagar assim informações sem conhecer histórico é perigoso hein, pode colocar vidas em risco.

    Imagina que essa profissional fez um parto humanizado (sabendo dos riscos que o bebê corria), depois que o bebê nasceu com complicações nem o SAMU ela chamou?

    Afinal, ela iria deixar o bebê nascer e morrer humanizado né…

    Você comentou que mudou para São Paulo, certo?

    Visite a Julie, ela está há 06 meses com seu pequeno Airan, no hospital do Campo Limpo, um dos casos de insucesso dessa profissional e faça por responsabilidade de informação um artigo sobre também.

    Não seja omissa com a vida do próximo!!!

    Sou profissional da área e recebemos diversos casos de bebês de partos humanizados em nossos hospitais, mas eles não entram para a estatística desse perfil de profissional.

    Beijos e que Deus coloque mais anjos em seu parto.

    1. Anderson - 13 de Abril de 2018 às 07:40

      Bom dia Camila,

      Concordo com você, precisamos cuidar da coisas que transmitimos. Só algumas perguntas, você estava lá no parto? A gestação era de alto risco? Outra coisa, um “dos casos” de insucesso? Por gentileza, apresente os demais casos….. seria muito importante saber o histórico dessa profissional né?! Tenho certeza que a puérpera citada verificou todas essas informações e fez a opção por uma excelente profissional né?! Se não escolheu uma das melhores, não tem do que reclamar.
      Como você mencionou que é profissional da área, sabe muito bem de todos os riscos que envolvem um parto, mas caso não saiba, posso te enviar muitas referências e artigos científicos atualizados que apresentam essas informações e apontam números e estatísticas sobre o sucesso do parto humanizado.
      Concluo, com o que você citou no início de seu post “precisamos cuidar com as informações e dicas passadas. Se for pessoal, converse com a pessoa. Exposição é algo baixo.
      Atenciosamente