Fazendo a Mala da Maternidade

Como eu contei para vocês no Relato de Parto, a chegada da Chloe foi inesperada! Estava com 38 semanas e tinha certeza que a nossa garotinha só viria com 40-41 semanas. Na minha última ultra o médico ainda comentou que ela ainda cresceria muito pois tinha muito espaço e ela estava super confortável!rs. Acho que houve um pequeno engano! Ela veio antes mesmo!


Eu fiquei super animada para começar a fazer a mala e a pensar em tudo o que deveria levar quando o meu Kit Mala + Bolsa + Acessórios da Beterraba chegou! Em lona preta, com detalhes de couro e forro clarinho com poá… a coisa mais linda!

Uma das minhas maiores dificuldades era entender o que verdadeiramente era necessário levar para a maternidade. Quando eu via aquelas listas enormes de um milhão de coisas ficava pensando se seria realmente necessário ou não. A parte boa de ter uma irmã e amigas com experiência no assunto é aprender e sugar ao máximo delas e impedir erros comuns ou exageros.

Uma coisa é certa, ser prevenida também não tem erro! As vezes é melhor pecar para mais, não é verdade? É melhor sobrar do que faltar. No meu caso algumas coisas foram na conta, e outras sobraram.

Eu fiz duas malas separadas, uma para Chloe e outra com as minhas coisas! Além das roupinhas e todas as mantas e fraldinhas da bebê, aproveitei para lavar todas as minhas possíveis roupas (como sutiãs e camisolas) com sabão de coco na máquina de lavar mesmo. Também lavei as camisetas do Lícius com o sabão neutro. Ainda bem que no dia que ela resolver dar as caras estava quase tudo pronto, lavadinho e cheirosinho!

A mala do bebê

Preparei a Mala da Maternidade para até 3 dias, o tempo mais comum de permanência no hospital, as peças tamanho RN (recém nascido) e com os conjuntinhos fofos que queria para os primeiros dias da Chloe. Não investi muito nelas por serem peças que se perdem muito rápido, mas, confesso que até essas peças RN ficaram grandes na Chloe!

– Paninho de boca (acabei não usando)
– 2 pares de luvinhas. Foi um item bem usado nesses dias na maternidade!
– 4 pares de meia
– 1 manta de lã que combinava com tudo (a titia Etiene fez e ela tinha muito significado para mim)
– 2 fraldas de tecido grandes para fazer o famoso charutinho
– 3 fraldas de pano para as visitas colocarem no ombro e segurarem a Chloe
– 4 bodies de manga curta, 6 bodies de manga comprida, 4 calças e 4 macacões – tudo tamanho RN
– Lacinho de cabelo da Lollie Babies para as primeiras fotos e visitas!
– Roupinha para saída da maternidade. Mas não deu certo, ficou enorme e ela usou um macacão confortável (e estava linda de qualquer jeito!rs)
– Plaquinha personalizada para a porta feita com carinho pela titia Dani
– Bolsa de tecido para colocar as roupas sujas separadas das roupas limpas
– Fralda Pampers RN. Mas, não foi preciso, já tinha tudo no hospital.

*Obs: Deixei dentro do carro uma mantinha extra que não tivesse tido contato com as coisas do hospital.
**Não esqueçam de levar as lembrancinhas! Eu deixei para a última hora e acabou não dando tempo de fazer! 🙁

A mala da mamãe:

Eu levei uma mala de rodinhas pequena e a minha mochila lindona da Beterraba! 🙂
Não levei a bolsa maternidade, aquela menorzinha, perfeita para o dia a dia, sabe? Não achei tão necessário porque do hospital a Chloe iria direto para casa, não haveria paradas, então, tudo o que ela precisava estava na mala e não era preciso nada “em mãos”.

– Maquiagem básica
– Creme de estria da mustela que usei durante toda a gravidez e após o parto também
– 3 camisolas fáceis de amamentar e comportadas para receber visitas
– Calcinhas grandes, sutiã de amamentação e cinta para segurar bem a barriga sem bebêzinho!
– Vestido para saída da maternidade
– Chinelo para tomar banho e ficar no quarto
– Meias quentinhas, mas acabei não usando
– Meus produtos de higiene (desodorante sem cheiro foi uma ótima opção!) e toalha de banho de casa! humm! 🙂
– Absorvente pós parto, mas o hospital disponibilizava e não foi necessário.

Além disso tudo, na minha mochila também tinha pãozinho integral, castanhas, frutas secas e pastinha de alcachofra! (sempre penso na comida e tenho medo do que tem no hospital, rs)

Na mala do Lícius além das roupas e higiene pessoal, também tinha a pastinha com os exames e documentação e claro, a câmera de foto e vídeo (e cartões de memória).


Conta pra gente como foi a experiência de vocês. Usaram tudo o que tinha na mala?

Deixe seu comentário

1comentários

  1. Paula Daniele Jedliczka - 17 de Janeiro de 2017 às 14:40

    Olá… o meu Fabinho está com 1 ano e meio e muita coisa (muita coisa mesmo) eu já me esqueci dessa época de preparar a mala da maternidade e das coisas que realmente foram necessárias. Mas, conto pra vcs que montei a primeira mala no sexto mês de gestação. O obstetra havia me alertado que se minha pressão e diabetes permanecessem alteradas, meu bebê poderia nascer antes do tempo. Assim, como eu ainda não tinha muitas peças, coloquei o que tinha na mala, como: cueiros, mantas, fraldas e apenas 3 macacões (era o que tinha). Depois, conforme a gestação ia evoluindo, mais peças iam sendo adquiridas e acrescentadas à mala. O que mais me preocupava era a higiene das peças, pois um bebê RN é muito vulnerável.
    Eu comprei aqueles saquinhos feitos de tule e montei cuidadosamente casa um dos 6 kits. Como meu bebê nasceu em pleno inverno, cada kit continha: 1 conjunto de body de manga longa + calça, 1 macacão, 1 par de meias, 1 par de luvas, um touca e 1 cueiro. Vc deve estar pensando, mas é muita roupa?!? Sim, é muita roupa. Aqui no Sul faz muito frio no inverno. Felizmente, como meu bebê nasceu forte como um touro, ficamos apenas o tempo imprescindível no hospital e não usamos todas as trocas de roupas, mas usamo-as quando chegamos em casa. Como eu não comprei muita roupa RN e choveu muito naquele mês, tivemos que organizar o rodízio das trocas de roupas, sendo que até a geladeira entrou na dança pra ajudar a secar mais rápido. Na época senti falta de não ter comprado mais roupinhas, mas não comprei e com bebê pequeno, chuva e frio não havia possibilidade de sair de casa pra fazer qualquer comprinha. Por sorte, minha irmã atendia a todas as minhas necessidades e ia comprando e trazendo as peças que iam sendo acrescentadas ou substituídas, até que o tempo firmou, a chuva diminuiu, o frio amenizou e eu pude sair para fazer compras. Ufa!!! Fazer a mala da maternidade não é tarefa fácil, mas sem dúvida foi muito mais fácil organizar trocas de roupas para 3 dias no hospital, do que para 30 dias de chuva e frio em casa.