Categorias Dica de Mãe

Estimulando a Fala do Bebê

Nós como mães exercemos a maior influência na vida dos nossos filhos. Provavelmente nós e todos que mais convivem com eles, não é verdade? É tão natural e tão simples que às vezes não dá para acreditar!

No desenvolvimento da fala da Chloe, tive mais convicção sobre isso. Eu sempre fui de conversar muito com a Chloe, além disso, sempre inventei músicas das coisas que nós estávamos fazendo! Hahahaha. Então, na hora do banho, eu inventava uma letra falando de água, sabonete, lavar o pé, a mão, a barriga e sempre fui tentando explicar o que estávamos fazendo. Era divertido! O papai dizia que eu era uma boa compositora e deveria gravar um CD! #sqn

Minhas dicas

Uma das coisas que aprendi e quero compartilhar com vocês, é que com os bebês é importante NÃO USAR pronomes (eu, você, ele), o ideal é usar os nomes deles e, dessa forma, conseguimos mostrar que todo mundo tem um nome. Por exemplo:

“Chloe vai passear”;
“Papai vai trabalhar. Dá tchau para o papai!”;
“Mamãe vai contar uma história”;
“Abraça a mamãe!”;
“Quantos aninhos a Chloe tem?”

A outra dica para fazer seu filho ter maior compreensão das palavras e do nome das coisas, é REPETIÇÃO e ENTONAÇÃO.
Na hora da refeição, por exemplo, eu falo o nome de tudo o que está no prato. Cada colherada eu falo:
“Arroz. Que arroz delicioso! Hummm. A Chloe quer arroz?”;
“Olha que espinafre verdinho, filha! A Chloe quer espinafre?”;
“Uma abobrinha, duas abobrinhas, três abobrinhas e quatro abobrinhas! Uauuuu!”

Falo por exemplo essas 3 frases acima com muitaaaa empolgação, de uma forma abismada para ela se impressionar, achar interessante e ficar empolgada também.

Outra técnica que dá muito certo é CHAMAR com entonação, todas as coisas que se quer.
Exemplo:
“Olha a manga lá na árvore filha! Maaaangaaaa, vem cá maaaangaaa! Maaaangaaaa, vem cá maaaangaaa!”;
“Chloe, chama a manga, filha!”;
“Como chama a manga?”

E foi assim que ela aprendeu a falar manga.
Normalmente faço isso com a árvore, com a bola, com o papai, com os amiguinhos, com a vovó e por aí vai… Chamar as coisas fixa melhor e a criança não esquece mais!

IMITAR OS SONOS E FAZER OS GESTOS são formas de fazer a criança compreender também! Não deixo de fazer isso quando conto histórias ou quando temos imagens aleatórias na rua, sabe? Se aparece um leão eu imito o leão, faço gesto e cara de leão. Quando estou contando uma história que alguém estava ficando cansado e com sono, ralento a voz, bocejo e vou fechando os olhos.

Quando lemos a Bíblia logo cedo, ela abre as páginas e sabe exatamente o que esperar. Na história de Daniel na Cova dos Leões, eu imito o leão; no nascimento de Jesus, eu mostro o neném e ela acha o máximo; na história de Jericó faço, o som das trombetas e ela dá risada. Quando conto as histórias tento usar as mesmas palavras sempre. Dessa forma fica mais fácil e a Chloe se sente familiarizada com a historinha.

Foi dessa forma que ajudamos a Chloe por aqui. Precisamos entender que cada bebê se desenvolve de acordo com o seu próprio ritmo. Se o seu bebê tem 18 meses e ainda não fala, não significa que ele é menos inteligente que o filho da sua vizinha que começou a falar com 11 meses. Não pode haver disputa e espírito de “corrida”. Não tenha pressa e respeito o tempo do seu bebê.

O mais comum é que seu bebê deverá entender o próprio nome por volta do quinto mês. Por volta dos 10 meses, ele começará a responder o que você pede. Depois disso, começam as primeiras palavras e as longas conversas na língua deles.

Atualmente a Chloe, com 13 meses, fala:
dede
auau
água
mamá
mamãe
papai
manga
vovó
Nina

Ela entende as parte do corpo e se perguntar ela sabe onde fica:
mão

barriga
braço
nariz
cabeça
cabelo
olho
boca

Faz gestos nas músicas;
Aponta para mamãe, papai, vovô;
Bate no meu peito ou arranca minha blusa quando quer mamá;
Faz gestos quando falamos VEM ou TCHAU;
Quando vê uma garrafinha pede por água;
Imita o som de alguns animais.

Estou mostrando isso tudo para vocês entenderem que o processo da fala é mais longo do que a gente imagina! Nossos bebês começam entendendo, para só depois falarem. Tenham paciência e logo logo estaremos nos perguntando: “quando será que ele vai ficar quietinho?”:)

Deixe seu comentário

6 comentários

  1. Eu acredito que a fala vem muito da estimulação…minha filha com 1 ano falava tudo, frases, mas tenho certeza que falou cedo p me manter calada de tanto que eu falava com ela….kkkkkk

  2. Que gracinha…
    Gente estou aprendendo tanta coisinha legal!

    obrigada por compartilhar essa tão lindas e significantes experiência…

    Bom Dia a todos…

  3. Eu vivo o inverso. Minha filha Maitê, de 1 ano e 8 meses, fala 3 palavras: mamãe, bobô (acabou) e não. Mas entende tudo e se comunica muito bem. Acho que é um pouco preguiçosa mesmo. Estamos na expectativa de novas palavras.

Publicidade

Junia Lane