Aquela fase “boa de boca” – Bela 1 ano e 9 meses

Fico até com medo de vir aqui escrever e contar pra vocês que estamos em uma das melhores fases na alimentação da Bela e, do nada, essa fase passar…

Uns posts atrás fui escrever sobre o sono e como estávamos vivendo um momento muito bom e exatamente no dia em que o post foi ao ar tivemos uma das piores noites com a Bela (rsrs).

Mas, vamos lá! Deixa eu dividir com vocês.

A verdade é que já faz uns 3 meses que a Bela abriu a porteira do apetite e descobriu que comer é bom demais! Ela ainda é seletiva, mas gosta de comer, sabe? E quando é algo que ela ama, como uva, tomatinho, quiabo, polenta, pão com ovo, melão, mexerica…. Come até ficar com a pança dura!

E agora vai a super dica para você que está passando pela fase negra da alimentação e lê de tudo, tenta de tudo: não fiz NADA de diferente! Pois é! Respeitamos o tempo da Bela, continuamos oferecendo o papa, mesclando com os alimentos que ela sempre amou muito e os outros que “precisa comer” (como arroz e feijão e alguns legumes), e deixamos a Bela explorar mais ainda.

Quando ela era bebezinha eu fui mais para o caminho do BLW (por escolha dela). Com o tempo e a rotina maluca, e precisando de ajuda para conciliar a Bela e o trabalho, o método tradicional tomou conta e, já que a Bela estava ruim de boca, quase não deixávamos ela comer a nossa comida se fosse fora de hora.

Depois de um tempo abrimos mais exceções! Deixamos a Bela explorar mais e escolher, especialmente com o Diego, e assim a Bela tomou mais interesse pelos alimentos (eu acho que foi isso, mas pode ser que tenha sido pura coincidência). Não liberamos industrializados, fritura e açúcar, mas em alguns momentos não tem muito o que fazer e eu nem fico mais encanada. Se estou comendo um bolo caseiro e ela pede, eu dou, mesmo sabendo que tem um pouco de açúcar ali. Suco de fruta da caixinha também é uma opção em emergências (mas sempre vejo se tem algum integral).

Mas sabe uma coisa que reparei? O fato de sempre ter oferecido os alimentos de todos os tipos e de todas as texturas ajudou muito nessa fase. A Bela não tem ânsia com nenhum tipo de textura/alimento, tem um paladar bom para frutas azedinhas, e curte muito os temperos fortes e exóticos (não é porque tem pouco sal que precisa ser sem gosto, né?).


Ela não curte os alimentos juntos. Como sempre separei no pratinho de forma que ela soubesse exatamente qual era cada alimento, ela gosta do prato organizado e gosta de saborear um de cada vez. Tem dias que misturo tudo pra ela não ter opção de frescura (hahahaha). Dá uma reclamada, mas até que come.

A rotina por aqui é mais ou menos assim:

7h – leite materno (apenas se acorda pedindo)
9h30 – café da manhã
12h30 – almoço
16h30 – fruta ou suco
18h – janta
20h30 – fruta ou o que a gente estiver comendo
21h30 – leite materno

Durante o final de semana acaba mudando um pouco porque a Bela acorda mais cedo no sábado e mais tarde no domingo. Almoça com a gente mais tarde e parece que sabe que vai ter pizza à noite! (Hahahahah) Ah! E ela está tão esperta que nem dá para oferecer só a bordinha, não! Ela quer com recheio. (Geralmente tiro o queijo e deixo a massa com algum legume e bem molhadinha).

A Bela ainda é vegetariana. Fiz todos os exames e ela está ótima! Nada de anemia, ferro excelente, B12 também! Ela já provou peixe e carne do nosso prato uma vez, mas não gostou. Não definimos “quando” ela vai comer carne/frango, acho que vai ser bem natural, se ela pedir.

Bom, já já ela vai fazer dois anos e a gente está MUITO feliz com essa parte! Tem dias que nem consigo lembrar como era a fase difícil pra comer. Agora, sobre as birras e “show da Bela”, comentei nesse post aqui… #prefironãocomentar #socorro #terribletwos

E como tem sido por aí? Os pequenos estão comendo até pedra também?

Deixe seu comentário

2comentários

  1. Larissa - 7 de julho de 2017 às 15:01

    Essas crianças são demais. O meu tá completando amanhã 1 ano e 5 meses. tem dias que raspa o prato de almoço e jantar, tem outros que rejeita tudo, cospe, bate no prato pra cair a comida, uma loucura. Eu sempre deixei ele por a mão nos alimentos, confesso que faz uma melação, mas ok. Já o pai prefere tudo limpinho, sem bagunça. resultado: com o pai, Enzo não come, fecha a boca e vira a cara. kkk A introdução alimentar foi bem difícil, na época ficava imaginando quando ele comeria alguma coisa, foram 2 meses sem querer nada, só peito. Aos 8 meses, começou a comer, bem uma semana antes de começar no berçário, parece que adivinhou! kkk com um ano, ele não quis mais mamar, para meu desespero, passei 2 semanas chorando de verdade. Enfim, hoje ele come mais ou menos bem, tem dias que é seletivo, tem outros que come até pedra. Também desencanei um pouco com as comidas na rua. Evito frituras e açúcar é bem raridade, e tb evito demais os industrializados, mas não dá pra criar o filho numa bolha, e assim vamos sendo felizes.

    1. Lápis de Mãe - 10 de julho de 2017 às 10:23

      Oi Larissa!
      Obrigada por dividir a história da introdução alimentar do seu filho! Adoramos!! Isso mostra que cada criança tem seu tempo e personalidade, não é mesmo?
      Grande beijo e parabéns! 🙂