Aprendendo a Desaprender – Diário de Gravidez da Ju

Tudo mudou.

As maiorias das coisas na nossa vida é a gente que escolhe, a gente traça o caminho, a gente decide, investe, persiste… estudamos e conseguimos, batalhamos e alcançamos, corremos atrás e nos sentimos capazes e seguros para enfrentar uma prova, um vestibular, um trabalho, um relacionamento e por aí vai… Tudo isso acontece até o momento em que você engravida.

Gravidez deveria significar: insegurança, dependência, desconhecido, novo, fora de alcance e tantos outros…

Junia22semanas_001

Em um primeiro momento a única coisa que pensamos é: “e agora? Como vamos fazer com os planos? Viagens? Trabalho? E agora? Como vamos fazer com a nossa casa, não temos espaço. E agora o que vamos fazer com o tempo? Não temos tempo para ter filhos.”

Depois a ficha cai e você percebe que vai dar tudo certo. Você se dá conta que foi a melhor coisa que te aconteceu e parece que o coração se acalma…

Mas vem os primeiros exames, dessa vez não importa se você é milionário, ou se você não tem o que comer. Seu filho pode nascer com falta de saúde e o seu diploma não resolve, a sua influência ou seu super trabalho não são capazes de alterar esse resultado. Você está preparado? Eu estou preparada? Gravidez é uma caixinha de surpresas, você precisa aprender a desaprender…

Tenho que confessar que eu fiquei mais carente! Coitado do marido! Acho que a gente começa a enxergar o que não é feito em vez de olhar tudo o que eles fazem por nós… Eu senti e sinto falta diariamente de carinho, sabe? Fiquei mais romântica, comprando presentes pra ele, escrevendo bilhetinhos, e acho que ele também ficou mais romântico desde que a Chloe chegou. É tão gostoso quando ele fala amo vocês duas! Quase morro de tão besta que fico! É tão gostoso quando ele se despede com beijo em mim e um carinho ou beijos na barriga também! Ou, quando ficamos por minutos esperando ela se mexer. Sei que parece besteira, mas são essas pequenas coisas que fazem da gravidez um momento de dependência e dessa necessidade de segurança emocional.

Acho que a fase mais difícil foi a insegurança em relação ao médico! Já passei por 5 médicos diferentes, a maioria deles eu esperei por horas numa sala, outros fiquei na consulta por apenas 15 minutos e fui liberada (interesse zero pelo paciente). Um dos médicos já chegou falando que só fazia cesárea e que se eu não quisesse que poderia procurar outro médico. Deu vontade de chorar, mas eu engoli o choro, fui embora e nunca mais voltei. Um outro obstetra me deu uma folhinha com dúvidas que eu pudesse ter e que era pra eu ler em casa! Fiquei arrasada, poderia ter feito isso sozinha, eu e o google. Dai você acha uma médica ótima, atenciosa que não tem como fazer seu parto pois estaria de férias! Por fim cheguei a conclusão que como todas as áreas, não tinha como achar um médico dentro do plano de saúde que se encaixasse dentro da minha filosofia, ou me passasse segurança ou não me fizesse esperar por mais de 2hs numa sala de espera, ou mostrasse interesse real pela minha gravidez. Quando você mais precisa do plano de saúde, ele te prova que é impossível! Lá vem a insegurança novamente. 

Fui atrás de um médico particular, bem conceituado. E quando entrei no consultório parecia que a secretária e ele estavam só me esperando! (E olha que eu não estava atrasada!) Ele já começou perguntando se eu tinha tempo pois essa primeira consulta demoraria cerca de 1:30h! Quase dei um abraço nele! ahahahaha Alguém realmente interessado, com ouvidos abertos, querendo saber absolutamente tudo, fazendo anotações, verificando todos os meus exames, pedindo novos e por aí vai… No final ele me deu todos os telefones possíveis e impossíveis e disse que se acontecesse qualquer coisa era para ligar para ele! Senti meu chão voltar, que felicidade, não dava para acreditar!

Engraçado, não é mesmo? Eu não escolhi engravidar, aconteceu. Eu não escolhi o sexo do meu bebê também. Eu não moro onde gostaria que meus filhos crescessem, mas vou montar o quartinho de qualquer forma. Eu não sei se vou conseguir amamentar, ou ter o tal do parto normal tão sonhado … eu estou aprendendo a desapegar dos meus achismos e aceitar o novo, a surpresa de cada dia, afinal de contas, não sou eu quem determino…

Talvez essa não seja a sua experiência e nada disso passe pela sua cabeça, mas por aqui é um turbilhão de sentimentos. Tem dias que eu tô chorona e tem dias que eu tô com riso frouxo, despreocupada. Tem dias que me sinto disposta e saio para uma caminhada e tem dias que eu quero ficar, comer pipoca e ler um livro sem sair da cama… Não tem regra! 🙂

Um beijo meu e da Chloe.

Junia22semanas_003junia22semanas_008Junia22semanas_004

Deixe seu comentário

13comentários

  1. evelyn - 29 de agosto de 2016 às 16:15

    Graças a Deus, de cara eu achei a obstetra dos sonhos e que meu plano cobria! Tive muita, muita sorte e sei que não é assim com todo mundo. Insegurança realmente é nosso lema e eu tb estou muito sensível. Por aqui estamos na semana 20 e estou ficando bem ansiosa para a chegada da minha menina!

  2. Camila Alves de Oliveira - 29 de agosto de 2016 às 16:32

    Gente, parece o meu relato do começo da gravidez, passei por 8 médicos até achar uma em quem confiasse. É tudo tão difícil, os médicos hoje em dia parecem não entender mais o periodo sensível que é a gravidez. Me identifiquei demais, estou na esperança do parto normal também, espero que você consiga.
    #mamaesunidas

  3. Pamella Santos - 29 de agosto de 2016 às 16:37

    É tão gostoso ler suas postagens de diário da gravidez, acho que se você transformasse em um livro eu seria a primeira a comprar!
    Muito amor e bênção nessa nova fase da sua vida s2

  4. Patricia - 29 de agosto de 2016 às 16:42

    Minha historia parece com a tua em relação ao obstetra enfim encontrei uma obstetra super atenciosa e sem pressa. No final deu tudo certo hoje estou curtindo minha Melissa.
    Um abraço e que Deus abençoe toda tua gestação.

  5. Giselle França Bernardo - 29 de agosto de 2016 às 16:43

    Linda reflexão! Sou mãe de dois e sigo aprendendo e desaprendendo a cada dia, aprendendo a lidar com o jeito deles e dasapredendo a ser ansiosa e ter expectativas demais, era muito de planejar tudo o tempo todo, mas a maioria das coisas fogem do nosso controle… . filho é uma bênção, um presente e só temos a aprender com eles sempre, aprendendo a relaxar e curtir a caminhada! Bjinhos na barriguinha linda 😊💖

  6. Livia Azevedo Lemos - 29 de agosto de 2016 às 18:15

    Tenho adorado ler seus diários…e me identifico em praticamente tudo! Medos e inseguranças então…ô sentimento para fazer parte do nosso cotidiano nessa fase né?!
    Meu pequeno Heitor já tem passado por bastante coisa com a Mamãe…e ver que quase todas as grávidas são assim parece dar uma aliviada! Rs

    Beijos nas duas ❤️

  7. Ana Paula Gaiote - 29 de agosto de 2016 às 18:30

    Me encontro em suas palavras…Tudo é novo, desconhecido..eu sinto medo desde o início, e por mais que saiba que tenho de descansar no Senhor muitas vezes me pego apavorada, com essa caixa de surpresas cheia de surpresas na mão (ou na barriga)…Que bom que conseguiu encontrar um bom médico, eu já sabia desde muito tempo antes que dentro do convênio jamais conseguiria algum médico que fosse um pouco mais humano pois já havia tido surpresas nada agradáveis nos 05 anos que tentamos ter nosso Bebê.. e me preparei e já desde o início…com certeza agora estará em boas mãos, pronta para receber a pequena Chloe! <3 Um beijo meu, Ana Gaiote e do nosso pequeno Samuel!

  8. Vanessa - 29 de agosto de 2016 às 19:36

    Se empodere!! Assista o documentário Renascimento do Parto e vá atras do seu sonhado parto normal, do contrário não irá acontecer, pelo menos sem violência e pelo plano de saúde!! Procure uma equipe humanizada e uma doula obde mora!! Boa sorte!!!!

  9. Bruna - 29 de agosto de 2016 às 20:31

    Como foi bom ler isso tudo ❤️ Continue, por favor!

  10. Elis - 29 de agosto de 2016 às 21:18

    Olá! Estou de 14 semanas e me identificando MUITO!
    O 2° médico que consultei já gostei: sem esperas, consulta demorada, exames e mais exames… Muito atencioso, me passou telefones (o que me deixou super tranquila) e não é cesarista! Descobri na gravidez que cada dia é um dia… e assim vamos vivendo! Ainda não sei o sexo, mas isso não importa não é mesmo? Feliz com cada exame sem alterações e com cada novidade do meu corpo. Felicidades pra todas nós! Saúde aos nossos bebês! Deus abençoe a todas… bjos

  11. ALINE KELLY - 30 de agosto de 2016 às 09:25

    lindo desabafo, nossa voltei ao passado depois deste post, lembrei de toda minha gravidez, um bjus, cada dia mais lindo o blog.

  12. Nádia - 2 de setembro de 2016 às 15:16

    <3 Vc está linda (mais ainda) !!

  13. Amanda - 5 de outubro de 2016 às 07:54

    Bom dia, sou enfermeira. Atualmente estou me especializando em obstetrícia, porque o ato de gerar e dar a luz é simplesmente DIVINO.
    Sou casada há 2 anos e ainda não sou mãe, mas sonho com o dia que isso vai acontecer (não por agora rs). Me identifico com o blog de vocês desde sempre e amo ler os seus posts e da Lore.
    Abraço, muito amor e paz!