{Álbum de Família} Pacto pela vida – Gêmeos Miguel e Fernando

Nosso coração se enche com cada história de família que recebemos. Relatos de superação, desafios e felicidade que tornam a família cada vez mais unida, mais forte, com mais amor.

Hoje queremos dividir com vocês um pouquinho do relato pós nascimento dos gêmeos Fernando e Miguel. Eles nasceram prematuros e enfrentaram momentos muito difíceis na UTI. A mamãe Evelen foi uma guerreira, e nos contou com detalhes sobre esse momento difícil que passou.

São relatos como esse que nos torna mais fortes como mães. Histórias reais que nos emocionam através da superação, da luta, do amor envolvido. E é isso que queremos passar para vocês todos os dias, de se unirem cada vez mais como família, de amarem incondicionalmente e não deixar esse amor guardado.

Relato da mamãe

“Fernando e Miguel chegaram ao mundo no dia 15 de outubro de 2014, com 30 semanas de gestação (início do 7º mês).

Logo que nasceram, fomos separados. Eu fui pra UTI de um hospital geral e eles para UTI Neo da maternidade. Fiquei 5 dias na UTI. Fernando 28 dias e o Miguel 70 dias, sendo transferido com 10 dias de vida para outra UTI para realizar uma cirurgia. No final das contas, foram 3 cirurgias mais um procedimento de emergência na incubadora. 45 dias de infecção generalizada e mais uns pingados (e QUE pingados) para contar.

Nossa caminhada foi de muita luta, mas de luta MESMO. Luta pela vida. Para gerar vida. Sobreviver a vida. Tínhamos planos de viver uma gestação que demorou a chegar, com saúde e tranquilidade. Não foi do jeito que queríamos, mas estamos aqui.

Não tenho fotografia da gestação do jeito que sonhei. Não peguei meus filhos no colo quando nasceram e, mesmo tendo leite, não pude amamentá-los quando tinham fome porque SOBREVIVER era mais importante que a minha vontade de ser mãe naquele momento.

Fomos separados para lutar pela vida. Fui mãe quando me vi em uma UTI e meus filhos em outra. Lutamos pela vida, os 3 – eu, Miguel e Fernando e o Bruno, marido e pai, um guerreiro por suportar tudo aquilo. Meus filhos nasceram para me salvar e eu vivo para que eles respirem vida a todo momento. Tão pequenos e já guerreiros… Heróis! Aquilo não podia passar em branco. Precisávamos tirar uma lição de tudo aquilo.

4 anos de frustração, lágrimas e fé para realizar o sonho de sermos pais. 72 dias de UTI que deixaram marcas profundas e muitos ensinamentos. 72 dias vivendo um minuto como se fosse o último respiro.

No fim do dia 16 de dezembro de 2014, fim de uma parte dos 72 dias, firmamos um pacto. Um pacto pela vida, de ser grato por ela! Nada de pacto material, planos, viagens… Um pacto simples: nenhum dia seria sem um sorriso, sem olhar para trás e ser grato pelas adversidades. Claro, agradecer por termos passado por tudo aquilo porque o nosso planejamento não foi do jeito que queríamos, mas estamos aqui. Nova chance de viver mais uma vez – e de forma diferente.”

As fotos mostram o dia a dia dessa família linda, pelas lentes do Daniel Freitas. Já falamos aqui sobre seu projeto incrível de estar 24h com a família, registrando cada etapa, desafio e momentos do dia que ficarão para sempre na memória da família.

“Me emociono a todo instante pensando no quão transformador foi a experiência de ter o nosso dia registrado. Que bom será ver estas fotos daqui a 10, 20, 30 anos e falar: “que tempo bom, que
saudades. Obrigado fotografia. Obrigado Daniel por ter registrado os sorrisos, as birras, os choros, as brincadeiras, a correria, o dia sem pose, a vida como ela era. Que tempo bom, deixou saudades”.

E não se esqueça: “faça pactos pela vida, não importa como ela seja.”

 

quem faz parte desse post

Fotos: Daniel Freitas

Deixe seu comentário