Categorias Desabafo de Mãe

A Decisão de ter uma Ajudante em Casa

Vivi 1 ano e 3 meses de Chloe sem uma ajudante oficial. Olho para trás e penso “como consegui ficar tanto tempo sem?” Tinha uma diarista 2x na semana. Quem lembra das comidinhas que eu postava nos stories?

 

Sempre acho que vou dar conta de tudo, que sou boa, que sou forte e que consigo! Na realidade isso tudo sempre deu certo! Mas, depois que eu tive a Chloe, algumas coisas mudaram e eu descobri que não vou dar conta de tudo e está tudo bem!

ADAPTAÇÃO

Nossa mudança para São Paulo foi um grande desafio, principalmente em relação a adaptação. É bem provável que por alguns momentos a Chloe ainda achasse que iria voltar pra casa! Hahahaha… Mas, cada dia que passa nos sentimos mais adaptados e a Chloe também.

Esse primeiro mês de adaptação foi bem duro, tudo era novo pra Chloe. Nós éramos “casa” e segurança para ela! Isso foi determinante para que ela ficasse ainda mais apegada a nós.

Confesso que o cenário não estava nada favorável para a nova ajudante.

Ela foi uma ótima indicação de amigos queridos aqui de São Paulo. Isso já nos deixou mais calmos! Nesse post falo mais sobre como escolher uma boa babá ou ajudante que passará tempo com o seu filho.

Conquistar o coraçãozinho da Chloe foi a meta da Lu!  Mas a Chloe foi dura na queda! Comecei a perceber que não estava criando situações favoráveis para as duas. Primeiro porque a vovó estava sempre aqui, segundo porque nós trabalhamos em casa e isso atrapalhava elas criarem um relacionamento.

Decidimos que elas precisavam de mais tempo a sós.
Meu principal medo era ter uma pessoa que amasse minha filha, estivesse atenta aos sinais e cuidasse com muito carinho… mas a Chloe chorando sempre se mostrava difícil. Então, eu só adiava esse tempo delas duas.

Experimentamos trabalhar trancados, fingir que não estávamos em casa! No primeiro dia ficamos nervosos com o silêncio. O que será que elas estavam fazendo? Uma paz inacreditável!

E pra trocar a fralda? Nem um pio, nenhum drama. Comer? Só se fosse o prato todo! Banho? Se divertindo! Dormir? A ajudante entrava no quartinho da Chloe e em 5 minutinhos saía. Como assim? Como assim? Essa foi a parte mais cruel pra mim. Ela simplesmente dava chupeta, colocava no berço com o amigo e ela virava para o lado e dormia. Eu ficava perguntando: “Você ninou? Cantou? Nada? Como assim nada?” Comigo isso nunca funcionou.

A parte mais difícil para nós como pais foi acreditar que a Chloe estava quietinha, sabe? No começo éramos tão desconfiados que ficávamos alternando e observando escondido. Tudo muito novo! Precisávamos entender! Mas a Chloe em todas as vezes estava bem, brincando!

CHLOE SE TORNOU OUTRA CRIANÇA

Essa não era a minha filha!
Brincar sozinha nunca deu certo, ela sempre precisava de nós! Parece até que somos mentirosos! Como pode? A Chloe era e é duas crianças diferentes quando está conosco, os pais dela, e quando está com a titia, nova ajudante.

Nada de birra, nada de escândalo, nada de reclamar. Come tudo, brinca sozinha, gosta de ajudar a preparar alguma coisa, tem o momento da leitura tranquila, toma banho quietinha, come sem se sujar (a titia não gosta de sujeira!) e com a colher. Dorme sozinha no berço e deixa trocar a fralda.

Por que filhos fazem isso com os pais?

Amo a rotina delas! Depois vou compartilhar com vocês.

SOU UMA MÃE MELHOR DEPOIS DA CHEGADA DA AJUDANTE

Nossa ajudante é calma, doce e alegre. Ela cuida muito bem da Chloe e de nós, cada dia vai entendendo mais as loucuras da nossa família! Tenho tentado ensinar nossas comidinhas esquisitas aos pouco, os sucos de vegetais e os leites de castanha. Ela é cristã e eu amo isso!

Nossa vida mudou! Eu não fico tão esgotada, consigo dar mais tempo de qualidade pra Chloe já que os afazeres ficam divididos. Antes, o momento de brincadeira da Chloe não era tanto comigo, pois eu precisava correr com as coisinhas dela (comidinha, roupa, quarto e etc), hoje eu consigo brincar leve e feliz por ter alguém zelando pelo bem estar da nossa casa e da nossa família como um todo.

Descobri que eu, como mãe, não tenho que dar conta de tudo! E não sou menos mãe, nem menos mulher, nem menos esposa. Na realidade SOU MELHOR EM TODOS ESSES PONTOS graças a minha ajudante.

PRÓXIMO PASSO, NOSSO DESAFIO

Atualmente estamos tentando fazer com que ela veja a gente em casa e fique bem! Sem drama, sabe? Mas ainda não conseguimos! Todas as vezes que ela nos vê chora desesperadamente, e infelizmente estragamos o dia dela. A titia sempre conversa e fala que a “mamãe está trabalhando”, mas não tem jeito. Ainda não tivemos sucesso, mas com fé vamos conseguir conviver sem nos esconder.

Eu não abortei a escola totalmente. Estamos pesquisando escolas interessantes que combinem com a nossa filosofia de vida para que a Chloe passe 1/2 período logo, logo. Mesmo não sabendo como vai ser a adaptação, tenho certeza que vai amar!

O post ficou muito longo, mas o assunto é delicado e longo mesmo! Me contem como foi com a ajudante, babá de vocês. Vou adorar saber.

Veja também:
Rotina com o Bebê: Como otimizo meu tempo
Home Office e Maternidade

Deixe seu comentário

6 comentários

  1. é assim mesmo, as crianças são outras na frente dos pais pq elas sabem até onde podem ir, inconscientemente, mas sabem. Trabalho em escola e é impressionante como os pais ficam surpresos com o comportamento qdo mandamos fotos ou videos da rotina da criança. Mas ser pais é passar por isso mesmo, e é lógico q vc não é menos mãe por isso, na vdd vc é tão mãe q conseguiu perceber q não dava pra abraçar o mundo.
    A adaptação difícil somos nós adultos q criamos, a criança se adapta fácil em qualquer lugar onde ela perceba segurança das pessoas q a cercam.
    Gostei muito de ler o texto, e de suas táticas como mãe, acho q dará certo, é só esperar.
    bjs

  2. Sofro do mesmo mal. Minha filha Maitê tem 1 ano e 11 meses. Desde os 7 meses fica muito bem a babá o dia inteiro. Mas é só um dos pais estar em casa para o caos se instalar. Não come, não dorme, não brinca sozinha etc.
    Acho que sou a vilã da história!

  3. Vocês lêem nossos pensamentos antes de escolher o assunto! Estou trocando de babá e já fico apreensiva como será a adaptação, se irá cuidar bem da nossa Alice, pois trabalhamos o dia inteiro fora, mas acompanho a rotina dela através das câmeras que instalamos em casa… Infelizmente não dá para confiar! Em relação a escola, também tenho essa dúvida do momento certo ou ideal para Alice frequentar… Ela está com 1 ano e 3 meses. Futuramente podem escrever sobre esse assunto?!

Publicidade

Junia Lane